Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
18 de Dezembro de 2014

"A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação." Fernando Pessoa

A época natalícia aí está. Tempo de estar com a família e com todos aqueles que muito estimamos. E claro, que não pode faltar o tradicional bacalhau; as rabanadas; o pão-de-ló e tantos outras doçarias que tornam o Natal tão especial. A família junto de nós é, certamente, o melhor presente que poderemos oferecer.

O "Gotinhas Culturais" volta no ano que vem, e até lá, deseja a todos os seus leitores um Feliz Natal e próspero Ano Novo de 2015.

*****

No "Gotinhas" desta semana, estas e outras novas que passaram.

Carlos do Carmo é a personalidade do ano para a imprensa estrangeira em Portugal Fadista é premiado por ter promovido a imagem de Portugal internacionalmente. Carlos do Carmo recebe este prémio no mesmo ano em que recebeu o Grammy Latino de Carreira.

A violinista com "queda" para Shostakovitch Era uma violinista conhecida sobretudo através de gravações. Desde que emigrou para Inglaterra, iniciou uma muito fértil carreira discográfica, principalmente na etiqueta Chandos. Unia a perfeição técnica da execução a uma grande capacidade para captar e transmitir os interstícios mais recônditos das obras (mormente tratando-se de autores russos), o que tornava as suas 'performances' particularmente intensas.

Herbie Hancock e Chick Corea juntam-se no EDP Cool Jazz de 2015 São dois dos pianistas mais influentes da história do jazz do século XX e a 19 de julho do próximo ano estarão juntos nos Jardins do Marquês de Pombal, em Oeiras, para um raro dueto em piano acústico.

Manoel de Oliveira recebeu Legião de Honra francesa por "carreira fora do comum" O realizador Manoel de Oliveira foi (no passado dia 10 de Dezembro )distinguido com a Legião de Honra francesa, por uma carreira que o embaixador francês em Portugal, Jean-François Blarel, descreveu como "fora do comum", marcada por laços de amizade com aquele país.

Descoberto na Noruega o primeiro filme de Natal da Disney Empty Socks é um filme da Disney de 1927 que se julgava perdido. Filme foi digitalizado e enviado para a Disney.

Eléctrico histórico regressa à marginal marítima do Porto e carros perdem uma faixa A Câmara do Porto revelou que vai "reestruturar profundamente" o trânsito em toda a zona da Foz.

10 filmes para ver (ou provavelmente rever) neste Natal Com o aproximar do Natal entra-se na época dos "filmes natalícios". Todos os anos há novidades, mas há clássicos que não parecem envelhecer. O DN escolheu dez.

*****

Carlos do Carmo é a personalidade do ano para a imprensa estrangeira em Portugal http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/carlos-do-carmo-e-a-personalidade-do-ano-para-a-imprensa-estrangeira-em-portugal-1679651

O fadista Carlos do Carmo foi escolhido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal (AIEP) para a Personalidade do Ano de 2014/Prémio Martha de la Cal, anunciou nesta terça-feira a entidade.

A violinista com "queda" para Shostakovitch http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4296673

Era uma violinista conhecida sobretudo através de gravações. Desde que emigrou para Inglaterra, iniciou uma muito fértil carreira discográfica, principalmente na etiqueta Chandos. Unia a perfeição técnica da execução a uma grande capacidade para captar e transmitir os interstícios mais recônditos das obras (mormente tratando-se de autores russos), o que tornava as suas 'performances' particularmente intensas. Nasceu em Saratov (como Alfred Schnittke), a 30 de abril de 1944, consta que na estação de comboio. O seu apelido original era Shtimerman e tudo indica que pertencesse à histórica comunidade judaica da Bessarábia/Moldávia (felizmente, os seus pais fugiram para o interior da URSS a tempo de escapar à invasão nazi de 1941). Lydia cedo começa a ganhar notoriedade regional, até que o seu nome foi referenciado às autoridades centrais como particularmente promissor, pelo que foi enviada para Moscovo, para estudar no Conservatório Tchaikovsky, com nada menos que David Oistrakh, lendário violinista russo (1908-1974), um dos maiores do século XX - também ele um judeu originário de Odessa. Lydia tornou-se uma das alunas preferidas de Oistrakh, foi sua assistente de 1968 a 1970 e beneficiou, em paralelo, da relação de amizade e admiração mútuas que existia entre David e o compositor Dmitri Shostakovitch (1906-1975) - que dedicou ao violinista os seus dois concertos para o instrumento e ainda a Sonata para violino e piano, op. 134. Lydia pôde inclusivé assistir à gestação da Sonata nas mãos do professor e foi uma das presentes quando ele fez a estreia informal da obra - no caso, perante a sua classe de violino, algures por 1969. Também neste ano vence o Concurso Marguerite Long-Jacques Thibaud, em Paris. No ano mesmo em que Oistrakh morre, Lydia decide emigrar para Israel (iniciando-se então na pedagogia) e será aí, uns anos depois, que Brian Couzens, produtor discográfico da RCA, a "descobre" e a convence a gravar um disco (Concerto de Brahms) para a etiqueta. Quando, pouco depois, Couzens cria a Chandos, Lydia "acompanha-o". Para a Chandos, ela gravará cerca de 60 discos, com todo o grande repertório, mais autores menos conhecidos, quer russos, quer britânicos. Entretanto (1980), muda-se para Inglaterra, vindo a adquirir cidadania inglesa. A partir de 1995, lecciona na Royal Academy of Music.

Herbie Hancock e Chick Corea juntam-se no EDP Cool Jazz de 2015 http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4297572

São dois dos pianistas mais influentes da história do jazz do século XX e a 19 de julho do próximo ano estarão juntos nos Jardins do Marquês de Pombal, em Oeiras, para um raro dueto em piano acústico. Existe um nome fundamental que une os percursos dos pianistas Herbie Hancock e Chick Corea: Miles Davis. O último substituiu gradualmente o primeiro quando este se começou a afastar da banda do célebre trompetista norte-americano. Foi nesta fase que se conheceram e, ainda que se tenham mantido próximos, raras têm sido as oportunidades de ver estes dois pianistas a tocar juntos. Quase cinco décadas depois do primeiro encontro, Herbie Hancock e Chick Corea voltam a juntar-se e no próximo ano vão atuar nos Jardins do Marquês de Pombal, em Oeiras, integrados no festival EDP Cool Jazz, revela a promotora Música no Coração. O concerto dos pianistas realiza-se a 19 de julho e as entradas custam entre 25 e 50 euros. Foi em 1968 que os seus caminhos se cruzaram pela primeira vez pela mão de Miles Davis. Na altura em que Herbie Hancock abandonava o quinteto do trompetista, Chick Corea acabou por acompanhar Miles Davis numa fase crucial da sua carreira, a da transição para o jazz de fusão. Corea manteve-se ao lado do trompetista apenas durante dois anos, mas ainda gravou com ele o influente álbum Bitches Brew (1970), um trabalho que revolucionou a história do jazz.

Manoel de Oliveira recebeu Legião de Honra francesa por "carreira fora do comum" http://www.dnoticias.pt/actualidade/5-sentidos/486019-manoel-de-oliveira-recebeu-legiao-de-honra-francesa-por-carreira-fora-

O realizador Manoel de Oliveira foi (no passado dia 10 de Dezembro )distinguido com a Legião de Honra francesa, por uma carreira que o embaixador francês em Portugal, Jean-François Blarel, descreveu como "fora do comum", marcada por laços de amizade com aquele país. Numa cerimónia que decorreu no Museu de Serralves, no Porto, o embaixador francês salientou as ligações francófonas de Manoel de Oliveira, mostrando "orgulho por que parte da obra tenha sido realizada em França" e em francês, lembrando as diversas distinções que o realizador português já recebeu ao longo da carreira, desde o prémio Robert Bresson à Palma de Ouro pela carreira, em Cannes. "É para mim uma grande honra receber, da parte da França, esta distinção", afirmou Manoel de Oliveira, em francês, antes de agradecer à França e de dizer "Viva o cinema!" perante uma assistência que incluía o secretário de Estado da Cultura, o presidente da Câmara Municipal do Porto e o realizador João Botelho. O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, relatou que, muitas vezes, é questionado sobre se Manoel de Oliveira é do Porto: "Eu costumo dizer que o Porto é de Manoel de Oliveira." Jean-François Blarel elencou a série de vidas contidas nos quase 106 anos - a completar na quinta-feira - do realizador de "Douro, Faina Fluvial", desde o ator de "Fátima Milagrosa" ao dançarino de "Inquietude", passando por tantos outros. O diplomata sublinhou tratar-se de um "realizador genial, sempre de uma modernidade radical, sem cessar de se colocar em causa, de explorar novas estéticas e manifestando sempre a consciência forte do valor artístico do cinema". Por seu lado, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, em comunicado, enalteceu hoje o realizador Manoel de Oliveira como uma "referência do cinema nacional e mundial", no dia em que o cineasta foi distinguido pelo Governo de França. Passos Coelho afirmou, no comunicado, que se "congratula com a atribuição, por parte do Estado francês, das insígnias de Grande Oficial da Legião de Honra de França ao realizador Manoel de Oliveira". O primeiro-ministro recordou ainda que o Estado português também já distinguiu a "carreira ímpar de Manoel de Oliveira", com a Comenda da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (1980), com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (1988) e com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D.Henrique (2008).

Descoberto na Noruega o primeiro filme de Natal da Disney http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/descoberto-na-noruega-um-filme-da-disney-de-1927-que-se-julgava-perdido-1679453

O Natal chegou mais cedo para a Disney. Um filme que se julgava perdido e do qual se conhecia apenas um extracto de 25 segundos que está no MoMA, em Nova Iorque, foi encontrado no arquivo da biblioteca norueguesa de Mo i Rana, na região do Círculo Polar Ártico. Datado de 1927 e intitulado Empty Socks, este foi o primeiro filme natalício da Disney.

Eléctrico histórico regressa à marginal marítima do Porto e carros perdem uma faixa http://www.publico.pt/local/noticia/electrico-historico-regressa-a-marginal-maritima-do-porto-e-carros-perdem-uma-faixa-1679480

O eléctrico vai voltar a circular na marginal do Porto até Matosinhos, num canal a instalar do lado do mar, subtraindo uma faixa aos automóveis, revelou à agência Lusa o presidente da empresa municipal Águas do Porto.

10 filmes para ver (ou provavelmente rever) neste Natal http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4286077&seccao=Cinema

Com o aproximar do Natal entra-se na época dos "filmes natalícios". Todos os anos há novidades, mas há clássicos que não parecem envelhecer. O DN escolheu dez. 10 - Grinch Realizado por Ron Howard, Grinch recebeu um misto de críticas quando estreou a 17 de novembro de 2000. Com Jim Carrey no papel da histórica personagem criada por Dr. Seuss no anos 50 na história 'How the Grinch Stole Christmas!' (tradução: 'Como o Grinch roubou o Natal'), o filme tornou-se num dos mais rentáveis de sempre na época festiva nos EUA (contando o Dia de Ação de Graças e o Natal), tendo sido o mais visto nas primeiras quatro semanas após a estreia naquele país. Em 2001, 'Grinch' foi nomeado para três Óscares: melhor direção artística, melhor guarda-roupa e melhor caracterização. Ganhou nesta última categoria. Jim Carrey venceu o Globo de Ouro como melhor ator em Comédia/Musical. 9 - Sozinho em Casa (Home Alone) É um daqueles filmes que mais Natal, menos Natal, lá acaba a ser transmitido na televisão e é quase impossível resistir em revê-lo, mesmo que já praticamente se conheça todos os pormenores de cor. Quando estreou a 16 de novembro de 1990, a história de Kevin McCallister - a criança de oito anos esquecida por acidente em casa pela família - e os dois ladrões que encontraram naquele rapaz uma inesperada resistência para roubar a casa, tornou-se num êxito sem precedentes. Ainda hoje é uma das comédias de maior sucesso de sempre. Chris Columbus realizou o filme que apresentou Macaulay Culkin ao público, tendo-se transformado numa das crianças mais queridas de Hollywood. Joe Pesci e Daniel Stern foram os ladrões infelizes. Foram feitas quatro sequelas, mas apenas a segunda contou com todo o elenco original.

Por aqui me fico, com a promessa de voltar para um Ano Novo de 2015 renovado.! Votos de um Santo Natal e boas entradas!

Até breve!
publicado por Musikes às 17:29 link do post
16 de Dezembro de 2014

"O homem prudente não diz tudo quanto pensa, mas pensa tudo quanto diz.” Aristóteles

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

MÚSICA CLÁSSICA (1750-1810)

E a história continua…

“Mozart era um grande virtuose do piano, e não poderia esquecer seu instrumento predileto. Além da Sonata em Lá Menor, K. 331, a do famosíssimo Rondó alla Turca, destacam-se as sonatas K. 310 (também em Lá Menor) e K. 457, em Dó Menor. Para violino e piano, são importantes as sonatas K. 454 e 526. Fora do gênero sonata, Mozart escreveu uma obra belíssima e altamente pessoal, a Fantasia para Piano em Dó Menor, K. 396. Foi composta em 1784, época em que estava apaixonado por Theresa von Trattner; a peça é uma confissão de seus sentimentos. Em muitos aspectos, é quase um prenúncio do romantismo.

Mozart Piano Sonata Nº 9 In D K 311 - 1. Allegro Con Spirito http://videos.sapo.pt/zb4ubjbZd5DJZWnvQ8mf

Mozart Piano Sonata Nº 9 In D K 311 - 2. Andante Con Espressione http://videos.sapo.pt/RkouvZsFCboMZ05bRJ8F

Mozart Piano Sonata Nº 9 In D K 311 - 3. Rondeau: Allegro http://videos.sapo.pt/ieEl6RcqoM95ZH79OkRG

Mozart Piano Sonata Nº 10 In C K 330 - 1. Allegro Moderato http://videos.sapo.pt/Fo6HNeYJgwV11QrQJlBK

Mozart Piano Sonata Nº 10 In C K 330 - 2. Andante Cantabile http://videos.sapo.pt/HrQZQTHP4VZ0yzKEiG11

Mozart Piano Sonata Nº 10 In C K 330 - 3. Allegretto http://videos.sapo.pt/yIEY8N7hOkQI3Yw43qDp

Mozart Piano Sonata Nº 11 In A K 331 - 1. Andante Grazioso http://videos.sapo.pt/djZH6u5eg4TyROyDF2E2

Mozart Piano Sonata Nº 11 In A K 331 - 2. Menuetto http://videos.sapo.pt/k5a68Ks42ERq1U0mwdHN

Mozart Piano Sonata Nº 11 In A K 331 - 3. Alla Turca: Allegretto http://videos.sapo.pt/KNTqVZn6rU2cVEA2JU3S

Mozart Piano Sonata Nº 12 In F K 332 - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/Ka2vBS2nOWeOIuzkeWzu

Mozart Piano Sonata Nº 12 In F K 332 - 2. Adagio http://videos.sapo.pt/z1rcztSojZzZ4ZAbJkdz

Mozart Piano Sonata Nº 12 In F K 332 - 3. Allegro Assai http://videos.sapo.pt/FWNN5trDP3I5LAefYrsR

Mozart Piano Sonata Nº 13 In B Flat K 333 - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/3GurUl8IPdmzZkIcSZfe

Mozart Piano Sonata Nº 13 In B Flat K 333 - 2. Andante Cantabile http://videos.sapo.pt/VYzh9wZBG1JmYp3z9jwl

Mozart Piano Sonata Nº 13 In B Flat K 333 - 3. Allegretto Grazioso http://videos.sapo.pt/qfbjSRodzK290mz2yidJ

Mozart Piano Sonata Nº 14 In C Minor K 457 - 1. Allegro Molto http://videos.sapo.pt/hkJYSq29i7w5grkGkd9l

Mozart Piano Sonata #14 In C Minor K 457 - 2. Adagio http://videos.sapo.pt/LhULJBAJ1z0vpaJvBrO2

Mozart Piano Sonata Nº 14 In C Minor K 457 - 3. Allegro Assai http://videos.sapo.pt/SZCyyPiwocS26dkH4fSv

Mozart Piano Sonata Nº 15 In F K 533 - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/LZ5nahfgCBLsLFDkmk87

Mozart Piano Sonata Nº 15 In F K 533 - 2. Andante http://videos.sapo.pt/znSaG6N7iJlkYmi3z1W9

Mozart Piano Sonata Nº 15 In F K 533 - 3. Rondeau: Allegretto http://videos.sapo.pt/KYdByLmHRAMTzSlge3Ve

Mozart Piano Sonata Nº 16 In C K 545 - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/lzn1RFJFJDL01nWtRpug

Mozart Piano Sonata Nº 16 In C K 545 - 2. Andante http://videos.sapo.pt/RtbNCKiD9kkVsp4gQuzN

Mozart Piano Sonata Nº 16 In C K 545 - 3. Rondo http://videos.sapo.pt/ohJJzU8rzOFTD1S9wyKa

Mozart Piano Sonata Nº 17 In B Flat K 570 - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/pzqH8DZmCYzFgbQ7t6As

Mozart Piano Sonata Nº 17 In B Flat K 570 - 2. Adagio http://videos.sapo.pt/vw15qlTWoHoGaAWoTuva

Mozart Piano Sonata Nº 17 In B Flat K 570 - 3. Allegretto http://videos.sapo.pt/8HMoAYlFzheYwcjzhwi3

Mozart Piano Sonata Nº 18 In D K 576, "Hunt" - 1. Allegro http://videos.sapo.pt/YBnhZLImJzM1g1ZPwYH1

Mozart Piano Sonata Nº 18 In D K 576, "Hunt" - 2. Adagio http://videos.sapo.pt/EB3zzPZgwunvWzkgk74Q

Mozart Piano Sonata Nº 18 In D K 576, "Hunt" - 3. Allegretto http://videos.sapo.pt/ZwOpPro4oM5ilmSzdhtU

Longa já vai esta audição da música do menino prodígio. Mas mantém a calma. A bom porto haverás de chegar!  Mozart legou-nos tão vasta obra musical, o que se torna bastante árdua a tarefa de selccionar qual a mais importante a escutar e apreciar.

“Por isso!... Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!”
publicado por Musikes às 09:57 link do post
11 de Dezembro de 2014

"A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação." Fernando Pessoa

No "Gotinhas" desta semana, estas e outras novas que passaram.

Pedro Abrunhosa revela as músicas que influenciaram Viagens Disco icónico faz 20 anos. Para celebrar a data, Abrunhosa reedita nesta segunda-feira Viagens e no Spotify do Ípsilon faz uma compilação da música que ouvia na altura.

A porta que se abriu ao jazz no Porto Um grupo com umas dezenas de músicos de jazz do Porto cansou-se de não ser ouvido. Reuniram-se numa associação, a Porta Jazz, criaram um auditório e este domingo dão início ao seu quinto festival. Notas sobre a determinação e a recusa de ficar no silêncio.

Morreu Fernando Machado Soares, cantor e compositor da canção de Coimbra Despediu-se Machado Soares, a voz que cantou o adeus a Coimbra. Autor de um dos mais emblemáticos temas do fado de Coimbra, a Balada do VI Ano Médico de 1958 , que todos conhecem como "Coimbra tem mais encanto", Fernando Machado Soares morreu este domingo, aos 84 anos.

O papel dos artistas nos Jogos da Fome do século XXI? O de resistente. Richard Florida como vendedor de banha da cobra e os artistas como catalisadores de energias anárquicas, focos de resistência - os Jogos da Fome da arte e do poder vistos pela conceituada artista plástica e académica norte-americana Martha Rosler.

Os sultões apaixonados pela música ocidental Uma das bandas regimentais do exército turco, em Constantinopla (atual Istambul), em foto de finais do século XIX. Concerto no dia 10, no Teatro São Carlos, dá a conhecer como a música ocidental foi cultivada no último século do Império Otomano.

Exposição mostra 70 obras inéditas de Almada Negreiros no Museu da Eletricidade Uma exposição com 70 obras de desenho, pintura e livros de artista de Almada Negreiros (1893-1070), na maioria inéditas, vai ser inaugurada na quinta-feira, no Museu da Eletricidade, em Lisboa, anunciou nesta terça-feira a Fundação EDP.

Herberto Helder reúne toda a obra em "Poemas completos" Poeta madeirense tem várias obras esgotadas.

Já sem o pó das obras, a igreja dos Clérigos reabre com maratona cultural O fim das obras na Igreja e na torre dos Clérigos é assinalado a partir das 12h de sexta-feira, com concertos e outros espectáculos. Até domingo. Há um mês, a 12 de Novembro, ainda se trabalhava no restauro da talha do cadeiral da igreja.

Para reflectir...

Os pais perfeitos Os pais perfeitos não têm dúvidas.

Programação de Natal para Crianças, Jovens e Famílias sugestões natalícias para confraternizar com a sua família...

ùltima hora?

Sepultura de Nicolau Nasoni pode ter sido descoberta nos Clérigos Pode ter sido descoberta por acaso a sepultura de Nicolau Nasoni. É que, durante as obras de remodelação da Torre dos Clérigos, um trabalhador destapou, por acaso, uma cripta onde estão 10 sepulturas.

****

Pedro Abrunhosa revela as músicas que influenciaram Viagens http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/pedro-abrunhosa-revela-as-musicas-que-influenciaram-viagens-1678736

Viagens foi o disco de estreia de Pedro Abrunhosa Foi assim que o conhecemos, com Viagens, estávamos em 1994. Ou seja, já passaram 20 anos e Pedro Abrunhosa é hoje um nome incontornável na música portuguesa. Nesta segunda-feira o músico celebra a data com a reedição do disco que foi considerado um dos melhores da década de 1990. Era, pelo menos, diferente do que se ouvia na música portuguesa.

A porta que se abriu ao jazz no Porto http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/a-porta-que-se-abriu-ao-jazz-no-porto-1678633

A maior parte da geração que dá músculo ao Porta Jazz tem por volta dos 30 anos. Conhecem-se há anos, já todos tocaram com todos Sexta-feira, ao final da manhã, numa sala duma escola de música na zona da Boavista, no Porto. Flauta na mão esquerda, um lápis na direita, João Pedro Brandão prepara-se para dar início a mais um round de ensaios com que o colectivo Coreto se prepara para fechar a quinta edição do Festival Porta Jazz. Uma boa dúzia de músicos reúne-se em círculo, o compositor do tema ensaiado, Paulo Perfeito, acabara de sair, a hora de trabalhar impunha-se sem que com essa dedicação alguém esperasse algo mais do que o praze...

Morreu Fernando Machado Soares, cantor e compositor da canção de Coimbra http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/morreu-fernando-machado-soares-cantor-e-compositor-da-cancao-de-coimbra-1678995

Como acontece, tantas e tantas vezes, Fernando Machado Soares foi um autor ofuscado por uma das suas criações. Balada do VI Ano Médico de 1958, tema conhecido das vozes do povo como "Coimbra tem mais encanto / na hora da despedida", é ainda hoje um dos grandes emblemas do fado coimbrão e talvez o seu mais visível caso de popularidade, tendo os versos da canção viajado muito para além dos limites geográficos da Universidade de Coimbra. Nos rigores da vida académica de então, o tema constituiu uma absoluta novidade, por inaugurar um tempo em que se permitia a todos os alunos finalistas que interpretassem colectivamente a composição encomendada a Machado Soares, ao invés do habitual protocolo da voz solista. Com a morte de Machado Soares, no passado domingo, desapareceu mais um nome fundamental da história do fado de Coimbra. Nascido na pequena vila açoriana de São Roque do Pico, em Setembro de 1930, Machado Soares desde cedo revelou dotes vocais, tendo desenvolvido um gosto muito particular pela ópera. A sua chegada a Coimbra, para cursar Direito, e a sua participação no associativismo enquanto membro do Conselho Cultural da Associação Académica de Coimbra, haviam de possibilitar inclusivamente que levasse até à cidade do Mondego, sempre que possível, companhias operáticas para se apresentarem nos palcos locais. Mas seria a sua ligação ao fado a garantir-lhe um lugar destacado na história da música portuguesa. De certa forma, quase se poderia dizer um prolongamento natural das suas características, uma vez que o tom mais erudito do fado coimbrão - por oposição ao registo mais popular do lisboeta - sempre foi moldado pelas vozes de perfil lírico que se lhe juntaram e pelas tradições musicais migrantes das regiões que para ali enviavam os seus jovens em busca de formação superior. Dos Açores, acredita-se, terá vindo a mais vincada influência desses lugares distantes. Tendo integrado o Orfeão Académico de Coimbra e a Tuna Académica, Machado Soares surgiria ao lado de Luiz Goes e de José Afonso enquanto um dos cantores do fundamental Coimbra Quintet - formado ainda por António Portugal e Jorge Godinho nas guitarras, Manuel Pepe e Levy Baptista nas violas. Apesar de não ter deixado a sua voz plasmada no marcante disco homónimo gravado pelo colectivo em 1957, no Teatro do Príncipe Real, em Madrid, contribuiria de forma decisiva com a autoria de composições e arranjos (Fado do Estudante, Toada Beirã, Cantares do Penedo e Canção Açoriana. No Coimbra Quintet grassava já a ideia de uma balada de Coimbra que representava uma necessária e afirmativa novidade no panorama musical da cidade, a que José Afonso e Adriano Correia de Oliveira haveriam depois de dar seguimento com crescente espírito desafiador. Além da Balada do VI Ano Médico de 1958, Machado Soares comporia igualmente temas que foi cantando vida fora como Balada do Entardecer ou Fado da Noite, emprestando a sua voz também a criações de Sutil Roque ou Mário Maria da Fonseca. Com a morte de Machado Soares, no passado domingo, desapareceu mais um nome fundamental da história do fado de Coimbra Após algumas deslocações ao estrangeiro (Brasil, África, Estados Unidos) com as formações universitárias de que fez parte, Machado Soares não se desligou completamente do meio musical coimbrão, mesmo quando exercia já as suas funções de magistrado - passou pelas comarcas de Guimarães, Santarém e Almada. Em Coimbra, actuava ainda esporadicamente, acompanhado de José Niza e Manuel Pepe. Curiosamente, no entanto, seria já por efeito da sua vida profissional que, ao transferir-se para Almada como juiz corregedor, acabaria por se aproximar do fado de Lisboa, frequentando as casas de fados da capital e acabando mesmo por aceitar o desafio da fadista Maria da Fé e do letrista José Luís Gordo para se juntar ao elenco do Sr. Vinho. Nunca deixando de interpretar o reportório que lhe estava mais próximo, o de Coimbra, seria acompanhado pelos notáveis músicos Fontes Rocha (guitarra), Durval Moreirinhas (viola) e Ricardo Rocha (guitarra). As suas duas vidas paralelas nem sempre foram vistas com bons olhos no meio da magistratura, mas Machado Soares não deixou de actuar e de emocionar com a sua voz possante marcada pelo rasgo interpretativo de Coimbra. Tendo ascendido a juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, ainda assim foi a música a deixar uma mais forte impressão à sua passagem. Em 2006, recebeu o Prémio Tributo Amália Rodrigues. E depois da morte da fadista, aliás, de quem fora amigo próximo, foi eleito vice-presidente da administração da Fundação Amália Rodrigues. Este domingo, aquele que criou e imortalizou a canção vulgarmente conhecida como Balada da Despedida - a melodia reclamada pelos estudantes de Coimbra como banda sonora do seu adeus à cidade -, despediu-se também ele, aos 84 anos. Não faltará, no entanto, quem o possa continuar a cantar.

www.portaldofado.net

O papel dos artistas nos Jogos da Fome do século XXI? O de resistente. http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/qual-o-papel-do-artista-nos-jogos-da-fome-do-seculo-xxi-o-de-resistente-1678683

Martha Rosler, tinha 20 anos quando o século XX entrou na década de 1960. Assistiu à transição entre o que restava do mundo moderno e o novo mundo contemporâneo. Mudança após mudança. "Se queremos algum tipo de revolução, temos que fazer manifestações, estar lá fora, organizarmo-nos, dedicarmo-nos." E isto nem sequer é activismo. É "cidadania", disse ao PÚBLICO numa entrevista à margem do Fórum do Futuro, no Porto, onde foi conferencista convidada.

Os sultões apaixonados pela música ocidental http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4281967

Uma das bandas regimentais do exército turco, em Constantinopla (atual Istambul), em foto de finais do século XIX. Concerto no dia 10, no Teatro São Carlos, dá a conhecer como a música ocidental foi cultivada no último século do Império Otomano. Um capítulo ainda quase desconhecido da música culta ocidental é o que versa a sua penetração e consequente prática na capital do Império Otomano, Constantinopla, a partir do segundo quartel do século XIX. Na quarta-feira, no São Carlos, um concerto dará a ouvir obras escritas para os sultões e música composta por sultões, ou por príncipes seus filhos. A iniciativa é da embaixada da Turquia e permite trazer a Lisboa o maestro, compositor e musicólogo turco radicado em Londres Emre Araci, que tem dedicado grande parte da vida a tornar mais conhecido este pedaço da história cultural do seu país e com quem falámos. "A música ocidental entrou oficialmente no Império e na corte por vontade do sultão Maomé II (reinou 1807-39). Já haveria uma prática informal, sobretudo entre as importantes comunidades estrangeiras de Constantinopla e, pontualmente, até mesmo ópera, mas os registos de uma atividade regular coincidem todos com o seu reinado", diz. Maomé II foi um reformador e liderou uma espécie de revolução cultural que culminou na dissolução do corpo de Janízaros do exército otomano, em 1826, famoso desde há séculos também pela sua música (inspiradora de tantas turqueries na música europeia). Apenas dois anos depois, o sultão chama para Constantinopla Giuseppe Donizetti (irmão de Gaetano), para ocupar o cargo de Instrutor Geral das Músicas Imperiais Otomanas, cargo que ocupará até à sua morte, em 1856, já sob Abdulmecid II (reinou 1839-61). Giuseppe desenvolvia funções semelhantes no exército piemontês.

Exposição mostra 70 obras inéditas de Almada Negreiros no Museu da Eletricidade http://observador.pt/2014/12/09/exposicao-mostra-70-obras-ineditas-de-almada-negreiros-no-museu-da-eletricidade/

Almada Negreiros: O que Nunca Ninguém Soube que Houve" é o título desta exposição que será inaugurada na quinta-feira, às 18:30, na Sala do Cinzeiro, e abre ao público na sexta-feira, permanecendo até 29 de março de 2015. De acordo com a Fundação EDP, o nome da exposição remete para o título de um livro do artista, aqui mostrado pela primeira vez, criado entre 1921 e 1922 por Almada Negreiros: "O Pierrot que Nunca Ninguém Soube que Houve. História Trágica Ilustrada com Sol e Palmeiras". Este livro é uma das obras - na sua maioria inéditas e nunca apresentadas em exposição - provenientes do espólio da família, de coleções privadas e de instituições públicas.

Herberto Helder reúne toda a obra em "Poemas completos" http://www.dnoticias.pt/actualidade/5-sentidos/484968-herberto-helder-reune-toda-a-obra-em-poemas-completos

Herberto Helder reúne toda a obra em "Poemas completos" A poesia de Herberto Helder passa a estar reunida em "Poemas Completos", publicados este mês pela Porto Editora, num só volume. O novo título segue a fixação do texto da versão anterior de toda a poesia de Herberto, "Ofício Cantante", e inclui os dois últimos inéditos do poeta - "Servidões" (2013) e "A morte sem mestre" (2014) -, esgotados poucos dias após a publicação. A primeira integral da obra poética de Herberto Helder surgiu em 1973, reunindo a produção dos 20 anos anteriores em dois volumes (1953/1966 e 1963/1971), seguindo-se, desde então, edições revistas pelo autor: "Poesia Toda" (1981), "Ou o Poema Contínuo" (2004), a síntese de "A Faca Não Corta o Fogo - Súmula & Inédita" (2008), "Ofício Cantante" (2009). "O Amor em visita", "A Colher na Boca", "Poemacto", "O Bebedor Nocturno", "Photomaton & Vox", "A Cabeça entre as Mãos", "As Magias", "Do Mundo", "Os Passos em Volta" contam-se entre as obras dos quase 60 anos de produção literária de Herberto Helder. Herberto Hélder de Oliveira nasceu na freguesia de São Pedro, no Funchal, a 23 de Novembro de 1930. Está radicado no continente há várias décadas.

Já sem o pó das obras, a igreja dos Clérigos reabre com maratona cultural http://www.publico.pt/local/noticia/ja-sem-o-po-das-obras-a-igreja-dos-clerigos-reabre-com-maratona-cultural-1678882

Torre dos Clérigos volta a receber visitas Irmandade quer organizar concertos diários de órgão de tubos na igreja dos Clérigos Igreja dos Clérigos com novos acessos e mais aberta à cidade Visita às obras dos Clérigos revela uma igreja coberta de andaimes Vários monumentos do Porto vão ter bilhete único Pontualmente, como anunciado no início do ano, a igreja dos Clérigos reabre sexta-feira, com uma missa solene para a qual foram convidados todos os sacerdotes da diocese e os 221 trabalhadores que intervieram nas obras de reabilitação. A partir das 17h, decorre a inauguração "civil", com um programa cultural intenso, promovido pela Porto Lazer, e que só termina no domingo. As obras nos Clérigos, que terminam 235 anos após a dedicação do templo, foram sendo acompanhadas através de visitas de notáveis, no dia 12 de cada mês. Em dia de inauguração, a Irmandade convidou o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, para um concerto especial, com os dois órgãos de tubos da igreja, a partir das 17h. Este espectáculo iniciará algo que Américo Aguiar, o sacerdote responsável pela igreja, pretende instituir na cidade, se possível diariamente, alargando a oferta cultural do Porto. Com o apoio da empresa municipal Porto Lazer, o monumento mais famoso da cidade vai ser invadido, nesta sexta-feira por manifestações artísticas pouco habituais. Que decorrerão sob uma iluminação especial do templo, que será ligada pelas 18h30. Ligado o interruptor, haverá música e cânticos de Natal, com uma actuação de cinco músicos no varandim da torre, entre as 18h45 e as 19h45. Para a Torre dos Clérigos e envolvente está agendada uma performance visual de Angel, entre 19h15 e 19h45, a que se segue, já depois do jantar, entre as 21h e a meia-noite, a actuação de DouTAR. Pelo meio, entre as 21h45 e as 22h15, acontece no varandim da torre um espectáculo de Novo Circo, com os Galo Bravo, João & João. Depois das artes circenses, o mesmo (pequeno espaço) serve de palco a uma edição especial do Porto Sounds, com um DJ set de Carla Castelhano, que antecede o último espectáculo da noite, pelos Sequin, a partir das 23 horas. Tudo isto acontece enquanto a igreja e a torre se mantêm abertos, e com entrada gratuita. No dia seguinte, as portas continuam franqueadas entre as 9h e a meia-noite, e domingo assim permanecerão, entre as 9h e as 19h. No sábado, entre as 15h30 e as 16h30, está agendado um concerto de jazz pelo Pedro Neves Trio, de novo no varandim da torre que, no domingo, será palco de um espectáculo de ópera, por Manuel Soares, João Miguel Gonçalves e Rui Fernandes. Pelas 21h30, explicou o padre Américo Aguiar, a igreja volta a ser o espaço de celebração da missa dominical mais tardia do Porto. Receber melhor Concluído o projecto de reabilitação dos Clérigos, o visitante passa a entrar na igreja, na torre e no novo espaço museológico que irá surgir pelo lado oposto ao que hoje utiliza. Fecha-se a porta da Rua Senhor Filipe de Nery e abre-se uma nova, na Rua da Assunção, com condições de acesso para deficientes e idosos. Que ganham, no interior, um elevador que não os consegue levar ao cimo da torre mas que permite, pelo menos, uma visita às salas de exposição espalhadas pelos vários pisos. Na expectativa de aumentar, e muito, o número de turistas, a Irmandade dos Clérigos preparou-se para os receber melhor, tendo construído uma loja e sanitários - valências até aqui inexistentes. A subida à torre vai ser regulada por sinais luminosos e, em cada piso, passa a haver zonas de descompressão, com pequenas exposições, onde os turistas podem esperar pelo momento de subir ou descer, escapando aos congestionamentos que, não raramente, acontecem naqueles 240 degraus que os colocam perante uma das mais famosas, e belas, vistas do Porto. Lá em cima, passam a existir painéis gráficos de leitura da paisagem e o piso foi elevado, para permitir uma vista mais desafogada da cidade. No edifício da antiga enfermaria, construída para receber os clérigos enfermos, ao nível do 3.º piso, foram demolidas paredes que cortavam a galeria, transformando-a em três salas mais pequenas, para "devolver ao espaço a sua dimensão original", como realçava no ano passado ao PÚBLICO o arquitecto João Carlos Santos, autor do projecto. Na Semana Santa de 2015 será inaugurado, aqui, o Museu dos Cristos, onde ficará exposta uma colecção de crucifixos - o mais antigo dos quais do século XII - pertencente a António Miranda, um natural de Baião há muito radicado em Lisboa. Financiada pelo Programa Operacional Regional e pelo programa Jessica - direccionado para reabilitação urbana - a obra dos Clérigos custou dois milhões de euros e realizou-se em apenas nove meses. A irmandade arriscou ao não a realizar por fases, misturando, no espaço, os trabalhos de restauro de arte sacra com empreitadas de construção civil. Mas, como se pôde verificar na última visita, a aposta deu certo, e a obra termina sem um minuto que seja de atraso. O que em Portugal quase raia o milagre. Já sem o pó das obras, a igreja dos Clérigos reabre com maratona cultural http://www.publico.pt/local/noticia/ja-sem-o-po-das-obras-a-igreja-dos-clerigos-reabre-com-maratona-cultural-1678882

Para feflectir...

Os pais perfeitos http://www.publico.pt/sociedade/noticia/os-pais-perfeitos-1678082

Os pais perfeitos não têm dúvidas. Perante qualquer dificuldade ou dúvida dos seus filhos, respondem com convicção absoluta e indicam, sem hesitação, o caminho a seguir. Não admitem o erro e se, por acaso, o resultado da sua determinação não conduz a um bom desfecho, culpam os filhos ou a sociedade do insucesso. Na escola, contestam os professores, com a afirmação de que a responsabilidade da educação pertence à família, a escola apenas tem de ensinar e não perder tempo com assuntos laterais.

Por último, deixo aqui algumas sugestões natalícias para confraternizar com a sua família...

Programação de Natal para Crianças, Jovens e Famílias nas Bibliotecas Municipais do Porto http%3A%2F%2Fbmp.cm-port...

Sábados a contar | CONTOS DE NATAL Sábados a contar | CONTOS DE NATAL Em Dezembro, a Biblioteca oferece um conto de Natal por sábado aos mais pequenos e a todos os que gostam de ouvir histórias. Traz os teus irmãos, os teus pais, os teus avós, os teus primos, os teus amigos para ouvir histórias de encantar. Destinatários: crianças dos 4 aos 10 anos | Famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: Limitação da Sala da Hora do Conto (40 crianças) Preço: Gratuito INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças de 06/12/2014 a 13/12/2014 Sessão às 11h00 e 15h30, com uma tolerância de 10 minutos em cada sessão.

Sábados a contar | CONTOS DE NATAL CONTOS DE NATAL | Sábados a contar Em Dezembro, a biblioteca oferece um conto de Natal por sábado aos mais pequenos e a todos os que gostam de ouvir histórias. Traz os teus irmãos, os teus pais, os teus avós, os teus primos, os teus amigos para ouvir histórias de encantar. Destinatários: crianças dos 4 aos 10 anos | Famílias Local: Sala Infanto-Juvenil da BPMP Limite de participantes: Limitação da Sala da Hora do Conto Preço: Gratuito INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Pública Municipal do Porto Crianças de 06/12/2014 a 13/12/2014 15h30

A OFICINA DO PAI NATAL A OFICINA DO PAI NATAL | Oficina de expressão criativa e plástica Vem passar um tempo divertido na companhia do Pai Natal. O Pai Natal vai ensinar-te a fazer coisas divertidas para o Natal, como cartões de Natal, aromas de Natal, origamis, embrulhos e muito mais. Vai ser divertido e mágico! Destinatários: Pré-escolar, 1º ciclo e famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: mín. 8 crianças; máx. 30 crianças INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças de 09/12/2014 a 12/12/2014 10h30 e 14h30 STORYTIME Storytime Storytime | Hora do conto em inglês para os mais pequenos O Natal está próximo e os ajudantes de Santa estão muito preocupados porque Rudolph, a rena mágica, está doente. Poderemos ajudá-los a distribuir os presentes a tempo? Vem assistir a este espetáculo em inglês, especialmente pensado para os mais pequenos. Destinatários: crianças a partir dos 3 anos e famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: Limitação da Sala da Hora do Conto (40 crianças) INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças 13/12/2014 15h30, com uma tolerância de 10 minutos. HORA DO CONTO E OFICINA DE ORIGAMIS Hora do Conto e Oficina de origamis E porque é Natal... uma história por dia Uma história de Natal diferente em cada dia, seguida de uma oficina de decorações natalícias em origami, ensinando a arte de dobrar papel. Destinatários: Crianças dos 4 aos 10 anos Local: Sala Infanto-Juvenil da BPMP Limite de participantes: mín. 10 crianças; máx. 15 crianças Preço: Gratuito Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Pública Municipal do Porto Crianças de 17/12/2014 a 19/12/2014 14h00 às 16h30 HISTÓRIAS À VOLTA DA CANDEIA HISTÓRIAS À VOLTA DA CANDEIA HISTÓRIAS À VOLTA DA CANDEIA | Conto musical à volta da obra de Guerra Junqueiro ALTERADO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças de 17/12/2014 a 19/12/2014 17, 18 e 19 de dezembro - sessões às 11h00 e 15h00 | 20 de dezembro - sessão às 16h00 OFICINA | UM NATAL COM BARRO E AZULEJO Oficina | Um Natal com barro e azulejo Um Natal com barro e azulejo | Oficina Nesta oficina, os participantes são convidados a moldar, através de diversas técnicas, enfeites de Natal e a pintar e ilustrar em azulejos imagens de Natal. Destinatários: crianças dos 6 aos 8 anos Local: Sala Unicer Limite de participantes: mín. 8 crianças; máx. 20 crianças Conceção e Orientação: Canteiro d'Imagens (Sair da Gaveta) INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças de 17/12/2014 a 19/12/2014 Das 09h30 às 17h00 HORA DO CONTO Hora do Conto Camila na Neve, texto e ilustrações Alexander Steffensmeier Destinatários: Crianças a partir dos 5 anos Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 15 crianças Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Crianças 18/12/2014 11h00 às 12h00 BIBLIOCARRO NA AVENIDA DOS ALIADOS BIBLIOCARRO NA AVENIDA DOS ALIADOS Biblioteca de rua nas férias escolares Atividades de animação da leitura; Visitas guiadas que englobam a exposição às réplicas de brinquedos antigos Natal dos mais crescidos para os mais pequenos: uma viagem através da(s) memória(s) de outros tempos: presentes, jogos e brincadeiras" (projeto que envolve os serviços educativos da BMAG: SABE, Leitura Geral e Periódicos e Bibliocarro) e locais da cidade ligados a esta quadra. O conto Dentes de Rato, da escritora Agustina Bessa-Luís serve de ponto de partida para a viagem à infância dos mais crescidos. INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Público em geral de 18/12/2014 a 23/12/2014 10H00-17H00 HORA DO CONTO Hora do Conto Novo Dicionário do Pai Natal, texto Luísa Ducla Soares e ilustrações Rita Madeira Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 15 crianças Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Crianças 18/12/2014 15h00 às 16h00 HORA DO CONTO Hora do Conto Dentes de Rato, texto Agustina Bessa-Luís e ilustrações Mónica Baldaque Destinatários: Crianças a partir dos 8 anos Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 15 crianças Requer inscrição prévia em aqui

Bibliocarro Crianças 19/12/2014 11h00 às 12h00 VISITA GUIADA Visita guiada Lugares de outros tempos que dão forma aos desejos de Natal, com a colaboração do arquiteto Marco Ginoulhiac Destinatários: Crianças a partir dos 8 anos acompanhadas por adultos Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 10 crianças Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Famílias 19/12/2014 15h00 às 16h00 FESTA DE NATAL FESTA DE NATAL FESTA DE NATAL | Sábado especial No dia 20 de Dezembro, a Biblioteca convida as famílias a participar na Festa de Natal. Espera-se um dia muito animado à volta de contos de Natal e oficinas temáticas. Neste sábado especial, os mais pequenos poderão vir vestidos de Pai Natal e esperar pela sua visita à Biblioteca. Destinatários: crianças dos 4 aos 10 anos | Famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: mín. 8 crianças; máx. 40 crianças INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças 20/12/2014 Sessão às 11h00, 15h30 e 16h00, com uma tolerância de 10 minutos em UMA HISTÓRIA EM BARRO Uma história em barro Uma história em barro Propomos a audição de um conto de Natal, seguida de uma oficina onde as crianças criarão os personagens e outros elementos em barro. Destinatários: crianças dos 4 aos 8 anos e famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: mín. 8 crianças; máx. 30 crianças Conceção e Orientação: Canteiro d'Imagens (Sair da Gaveta) Preço: 5 euros por criança + 1 adulto INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças 20/12/2014 11h00 BIBLIOTECA EM FESTA - NATAL Biblioteca em Festa - Natal Biblioteca em Festa - Natal Um dia muito animado à volta de contos de Natal e oficinas temáticas. Neste sábado especial, os mais pequenos podem vir vestidos de Pai Natal. Destinatários: Crianças dos 4 aos 10 anos Local: Sala Infanto-Juvenil da BPMP Limite de participantes: mín. 10 crianças; máx. 15 crianças Preço: Gratuito VER PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Biblioteca Pública Municipal do Porto Crianças 20/12/2014 10h30 às 17h30 BR(IN)COLAGES DE NATAL Br(in)colages de Natal Br(in)colages de Natal | Atelier de Natal A partir da exploração da história "Ninguém dá prendas ao Pai Natal" dá um toque único ao teu Natal, com objetos feitos por ti - aproveita as nossas sugestões originais e criativas! Destinatários: Crianças dos 4 aos 10 anos Local: Sala Infanto-Juvenil da BPMP Limite de participantes: mín. 10 crianças; máx. 15 crianças Preço: Gratuito INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Pública Municipal do Porto Crianças de 22/12/2014 a 23/12/2014 Horário livre HORA DO CONTO E ATELIER DE CRIAÇÃO DE PRESENTES DE NATAL Hora do Conto e Atelier de criação de presentes de Natal Um presente diferente | Hora do Conto e Atelier de criação de presentes de Natal Os participantes são convidados a assistir à leitura da história "Um presente diferente" de Marta Azcona e desafiados a construir um presente para oferecer no Natal a alguém muito especial! Para participar basta trazer muita imaginação! Destinatários: crianças dos 4 aos 8 anos | Famílias Local: Sala da Hora do Conto Limite de participantes: mín. 8 crianças; máx. 15 crianças INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Crianças de 22/12/2014 a 23/12/2014 Sessão às 11h00 e 15h00 OFICINAS DE NATAL Oficinas de Natal Tecidos com magia: Postais e enfeites de Natal, com a colaboração de Mafalda Veleda Destinatários: Crianças a partir dos 8 anos acompanhadas por adultos Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 10 crianças Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Famílias de 22/12/2014 a 23/12/2014 14h00 às 15h00 HORA DO CONTO Hora do Conto Milagre de Natal, texto António Torrado e ilustrações Inês Oliveira Destinatários: Crianças a partir dos 8 anos Local: Bibliocarro estacionado na Avenida dos Aliados Limite de participantes: mín. 6 crianças; máx. 15 crianças Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Bibliocarro Crianças de 22/12/2014 a 23/12/2014 OFICINA DE INSTRUMENTOS MUSICAIS PARA CANTAR OS REIS Oficina de instrumentos musicais para cantar os Reis Oficina de instrumentos musicais para cantar os Reis Vem criar um instrumento musical com material reciclado e usa-o no Dia de Reis! Destinatários: Crianças dos 4 aos 10 anos Local: Sala Infanto-Juvenil da BPMP Limite de participantes: mín. 10 crianças; máx. 15 crianças Preço: Gratuito Requer inscrição prévia em aqui INSCRIÇÕES EM CURSO Biblioteca Pública Municipal do Porto Crianças de 26/12/2014 a 02/01/2015 Horário livre TEATRO DE SOMBRAS JAPONÊS Teatro de sombras japonês O gato que viveu um milhão de vezes | Teatro de sombras japonês A história de um gato arrogante que renasce varias vezes até encontrar a felicidade e o amor. Baseado no livro de Yoko Sano publicado em 1977, "O gato que viveu um milhão de vezes " (56ª Edição no Japão) 2 sessões - uma em português e outra em japonês. Local: Sala Unicer Limite de participantes: até limite da lotação da sala ALTERADO Biblioteca Municipal Almeida Garrett Público em geral 27/12/2014 11h00 e 12h30

CMP Bibliotecas Municipais do Porto

Tempo ainda para uma notícia de última hora!

Sepultura de Nicolau Nasoni pode ter sido descoberta nos Clérigos http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=4287706

Pode ter sido descoberta por acaso a sepultura de Nicolau Nasoni. É que, durante as obras de remodelação da Torre dos Clérigos, um trabalhador destapou, por acaso, uma cripta onde estão 10 sepulturas. Crê-se que entre elas poderá estar a do arquiteto italiano que projetou aquele monumento nacional, ex-líbris da cidade do Porto. LUSA Cripta do século XVIII, com pelo menos dez sepulturas, descoberta durante as obras na Igreja dos Clérigos. Há anos que a Irmandade dos Clérigos procurava uma cripta do séc. XVIII onde teriam sido sepultados anteriores presidentes daquela entidade que gere o ex-líbris da cidade do Porto. Tentou-se de tudo mas sem efeito. Carpinteiro descobriu sepultura onde poderá estar Nasoni Também se estimava que nessa cripta poderia estar sepultado o projetista da Torre dos Clérigos, o arquiteto italiano Nicolau Nasoni. É que, no livro de óbitos da Irmandade lê-se: "Nicolau Nasoni foi sepultado nesta igreja (dos Clérigos) sendo asestido (assistido) pela Irmandade como pobre e se lhe fizerão (fizeram) os três oficios (ofícios) como também o da sepultura". "Será que os meus antepassados na função, ao fazer-lhe o funeral, lhe dedicaram um espaço na cripta, em vez de o pôr no corpo da igreja?", questiona o presidente da Irmandade, padre Américo Aguiar, lembrando que Nicolau Nasoni foi enterrado na Igreja dos Clérigos por sua vontade. Na semana passada, contudo, um trabalhador poderá ter desfeito o mistério, por acaso. Ao levantar duas tábuas do chão da Igreja dos Cléricos descobriu a tão procurada cripta, com 10 sepulturas. O padre Américo Aguiar tem esperanças que esteja entre elas a de Nicolau Nasoni. A cripta só será estudada, contudo, depois da inauguração das obras de restauro da Torre e da Igreja dos Clérigos, marcada para sexta-feira. Para o efeito, já foi preparada uma equipa de arqueológos em parceria com a Direção-Geral da Cultura.

Por aqui me fico, com a promessa de voltar para a semana! Até breve!
publicado por Musikes às 10:34 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO