Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
14 de Maio de 2016

"O homem prudente não diz tudo quanto pensa, mas pensa tudo quanto diz.” Aristóteles

Ora… ainda por aqui? Boa! Bem vindo a bordo!  Iremos, então continuar a conhecer e descobrir mais da vida e obra de C. P. E. Bach. Pronto? Bora lá! Pés ao caminho… ;)

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

MÚSICA CLÁSSICA (1750-1810)

Carl Philipp Emanuel Bach

“Em 1738, recebeu de Berlim uma tentadora oferta de emprego: o príncipe herdeiro Frederico (futuro rei Frederico 2º da Prússia, apelidado "o Grande") queria contratar "o Bach" como cravista da orquestra de sua corte. O pai ainda o advertiu sobre a superficialidade da música da corte prussiana: "Isso é azul-de-Berlim, desbota!". Mas o jovem músico queria trilhar seus próprios caminhos, e mudou-se para a metrópole – onde acabou permanecendo 30 anos. Acompanhador do rei” (http://www.dw.com/pt/carl-philipp-emanuel-300-anos-de-um-bach-negligenciado/a-17482545)

C. P. E. Bach - Cello Concerto in A minor, Wq.1 (1º and.) http://videos.sapo.pt/FyjC8ThF1waj4TIGHGaL

C. P. E. Bach - Cello Concerto in A minor, Wq.1 (2º and.) http://videos.sapo.pt/yEm1kNyiqL1l61VVvqif

C. P. E. Bach - Cello Concerto in A minor, Wq.1 (3º and.) http://videos.sapo.pt/zf550KI9uM0P8IVOc4dm

“Em Berlim, ele entrou em contato com os mais modernos estilos musicais da época. Porém o trabalho o entediava cada vez mais, já que sua principal função era acompanhar Frederico, que tocava flauta transversa. As ousadas e emocionantes peças para teclado, já então responsáveis pela notoriedade de Carl Philipp Emanuel em toda a Alemanha, não interessavam nem um pouco ao soberano, para cujos ouvidos se tratava de "quinquilharias da nova moda". No entanto, logo essas "quinquilharias" encontraram interessados nos círculos musicais e filosóficos burgueses. Um aspecto de possível importância para o compositor: era praticamente impensável um afastamento mais radical em relação ao estilo erudito de seu pai, o "velho" Johann Sebastian Bach. O concerto de flauta de Frederico, o Grande em Sanssouci", óleo de Adolph von Menzel (1815-1905 Liberdade em Hamburgo Por diversas vezes, Carl Philipp Emanuel pediu para ser exonerado do serviço prussiano. Em vão, pois Frederico, o Grande não admitia abrir mão de seu "homem do teclado". Somente em 1768 deixaria o músico partir, quando o conselho municipal de Hamburgo ofereceu a Bach o prestigioso cargo de diretor musical das cinco grandes igrejas da cidade. (http://www.dw.com/pt/carl-philipp-emanuel-300-anos-de-um-bach-negligenciado/a-17482545)

C. P. E. Bach - Suite In A Minor, BWV 818 (1º and.) http://videos.sapo.pt/DkA21NpbguYmSoNHDM1r

C. P. E. Bach - Suite In A Minor, BWV 818 (2º and.) http://

C. P. E. Bach - Suite In A Minor, BWV 818 (3º and.) http://videos.sapo.pt/aRzitCAjwqbJ7ATqvr4z

C. P. E. Bach - Suite In A Minor, BWV 818 (4º and.) http://videos.sapo.pt/EfniOVEr4111IwE7IwuV

C. P. E. Bach - Suite In A Minor, BWV 818 (5º and.) http://videos.sapo.pt/wz8W4YM2l6yIikzqAYwY

“C.P.E. Bach sucedia no posto a Telemann, morto um ano antes. Uma de suas funções era compor música litúrgica e de festa para as ocasiões solenes, e nessa época ele produz diversos oratórios e sinfonias. Finalmente sentia-se um artista livre: organizava seus próprios concertos e, como fizera antes seu padrinho, tornou-se homem de negócios autônomo, publicando suas obras através de uma editora própria.” (http://www.dw.com/pt/carl-philipp-emanuel-300-anos-de-um-bach-negligenciado/a-17482545)

C. P. E. Bach - Suite In E Flat, BWV 819 (1º and.) http://videos.sapo.pt/tKpEOSv1YMOQcyF90I4y

C. P. E. Bach - Suite In E Flat, BWV 819 (2º and.) http://videos.sapo.pt/WnVptS2uZ4mhKJqBvsDS

C. P. E. Bach - Suite In E Flat, BWV 819 (3º and.) http://videos.sapo.pt/3IWIQ7O3mB7Q6ZruSusR

C. P. E. Bach - Suite In E Flat, BWV 819 (4º and.) http://videos.sapo.pt/QAAoOya1Bd0aZTU2EMB3

C. P. E. Bach - Suite In E Flat, BWV 819 (5º and.) http://videos.sapo.pt/1a1zzfZgnlZ17QDzhrBd

Satisfeito? ;) Não desesperes. Ainda há muito mais para ouvir!

Por isso!... Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!
publicado por Musikes às 19:22 link do post
11 de Maio de 2016

“GOTINHAS… CULTURAIS…”

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” Fernando Pessoa

A não perder! Aqui algumas sugestões culturais a lá dar um salto. ;)

FITEI arranca a 28 de maio no Rivoli http://www.porto.pt/noticias/festival-internacional-de-teatro-de-expressao-iberica-arranca-a-28-de-maio-no-rivoli

(notícia de 10-05-2016) “A 39.ª edição do Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI) tem como tema principal a Cenografia e vai decorrer no Porto, de 28 de maio a 19 de junho. Na conferência de apresentação da programação do evento, que decorreu hoje no Rivoli, o diretor Gonçalo Amorim salientou que já estar a ser preparada a edição de 2017, quando o festival celebrar quatro décadas de existência, num programa virado para o tema da comunidade e dos "territórios comuns". (…)”

*****

O LeV — Literatura em Viagem está de volta e assinala o seu 10.º aniversário

O LeV — Literatura em Viagem regressa já nesta sexta-feira. Entre os dias 13 e 15 de maio, Matosinhos volta a receber mais de uma dezena de autores, cientes da missão espinhosa que é salvar o mundo, contando-o.

Nesta 10.º edição do LeV, destacamos a presença do escritor, ensaísta e cronista Claudio Magris, um dos intelectuais europeus mais influentes da atualidade, numa altura em que a Europa atravessa uma das maiores crises de identidade das últimas décadas. Em Matosinhos, Claudio Magris irá refletir sobre o mundo em que vivemos, e em que condições pode a Literatura contribuir para salvá-lo. Destaque também para a presença do britânico Howard Jacobson, vencedor do prémio Man Booker, que virá falar sobre livros, viagens, humor e judaísmo (passe o pleonasmo), bem como para a conversa entre Ella Berthoud, autora de Remédios Literários, e Clara Ferreira Alves, que tentarão perceber se a Literatura salva.

Gonçalo Cadilhe e Paulo Moura vestirão a pele de grandes viajantes durante a sessão Elsinore, e Teolinda Gersão estará em diálogo com Patrícia Reis, partindo Por Este Mundo acima rumo à Cidade de Ulisses, e vice-versa. Alberto S. Santos, David Toscana e João Ricardo Pedro viajarão rumo às cidades literárias, e Andrés Barba, Ilze Butkute e Josefine Klougart farão o ponto de situação literário das New Voices europeias, uma iniciativa da plataforma Literature Across Frontiers, parceira do evento. Durante a 10.ª edição do LeV, haverá ainda visitas às escolas do concelho, sessões de formação e desafios à aventura via NOMAD, bem como visitas a lugares emblemáticos de Matosinhos, motivos de inspiração literária.

A partir de sexta-feira a Biblioteca Municipal Florbela Espanca volta a servir de base às mais diversas viagens e interpretações literárias, a partir de debates, conversas e entrevistas com uma série de autores que marcam a escrita contemporânea. A abertura será de José Pacheco Pereira no dia 13 de maio, pelas 21.30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos. Sejam bem-vindos a bordo.

O LeV — Literatura em Viagem é uma organização da Câmara Municipal de Matosinhos com produção executiva da Booktailors.

*****

Sud-Express no Palácio de Bolhão http://www.porto.pt/noticias/sud-express-no-palacio-de-bolhao

(notícia de 10-05-2016) “Estreia na próxima quinta-feira, 12 de maio, no Auditório do Palácio do Bolhão o espetáculo "Sud-Express 2016", de Zeferino Mota e João Paulo Costa. Depois de "A Revolução dos que Não Sabem Dizer Nós", em 2015, Zeferino Mota e João Paulo Costa lançam-se neste trabalho na evocação de um povo destinado à errância, como parece comprovar o imaginário identitário da nossa cultura constituído por elementos como o mar ou a saudade. Por sua vez, a França foi desde sempre a nossa entrada na Europa. Só depois dos Pirinéus, trabalhadores sem futuro, intelectuais escorraçados, refratários da guerra colonial sentiam o vento da liberdade que aqui escasseava... (…)”

*****

Cinema a 2,5 euros já na próxima semana http://www.dn.pt/artes/interior/cinema-a-25-euros-ja-na-proxima-semana-5165958.html

“Os bilhetes a 2,5 euros voltam entre 16 e 18 de maio a cerca de 500 salas do país. Organização espera captar 250 mil espetadores. A Festa do Cinema regressa às salas de cinema do país na próxima semana, entre 16 e 18 de maio, com bilhetes a 2,5 euroseuro. Depois da 1.ª edição, em 2015, a organização espera atrair mais 50 mil espetadores, esperando chegar aos 250 mil. Uma novidade é a parceria com a Academia Portuguesa de Cinema, o filme vencedor dos Prémios Sophia, que será conhecido na sexta-feira, será exibido em algumas salas. Amor Impossível, de António-Pedro Vasconcelos, Montanha, de João Salaviza, Yvone Kane, de Margarida Cardoso, e As Mil e Uma Noites: Volume 2, O Desolado, de Miguel Gomes são os nomeados. Ontem, durante a conferência de imprensa de apresentação da edição deste ano, Nuno Sousa, da organização Festa do Cinema, salientou o facto de em 2015 se ter registado "um crescimento de 20% no sector que este evento uniu, focando todos os players num objetivo e estratégia comuns". Recorde-se que Portugal contabilizou 14,5 milhões de espetadores, mais 2,5 milhões do que em 2014. Já Paulo Santos, da Associação Portuguesa de Empresas Cinematográficas (APEC), destacou a maior acessibilidade ao cinema que esta festa permite: "é um momento especial de partilha de obras cinematográficas com um público que, de outra forma, poderá não ter as mesmas possibilidades de acesso à magia das salas de cinema". (…)”

*****

Jazz continua a morar nos Aliados http://www.porto.pt/noticias/jazz-continua-a-morar-nos-aliados_2

(notícia de 09-05-2016) “Durante este mês, a associação Porta-Jazz apresenta cinco concertos no AV. Espaço Montepio, com o apoio da Câmara do Porto. A associação de músicos de jazz do Porto continua a promover espetáculos no número 90 da Avenida dos Aliados, nos fins de tarde de sábado (19 horas). Como também tem acontecido desde o início de 2016, num domingo do mês o AV. Espaço Montepio cede o seu palco a estudantes de música, que assim têm oportunidade de apresentar o trabalho desenvolvido nas aulas, numa iniciativa designada por "Porta Aberta" e com entrada livre. No primeiro sábado, dia 7 de maio, a animação ficou a cargo do Ricardo Formoso Quarteto "Origens", que integra Ricardo Formoso (trompete), Carlos Azevedo (piano), José Carlos Barbosa (contrabaixo) e Marcos Cavaleiro (bateria). +Info: Programação Mensal Sábado, 14: Mike Fletcher Sextet Ricardo Formoso (trompete), João Mortágua (saxofone alto), Mike Fletcher (saxofone tenor), Gonçalo Moreira (piano), João Cação (contrabaixo) e Alexandre Coelho (bateria) Domingo, 15 (18 horas): Porta Aberta: Conservatório de Música do Porto + Conservatório de Música de Coimbra Sábado, 21: The Mantra of the pHat-Lotus José Soares (saxofone), Mané Fernandes (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo) e Pedro Vasconcelos (bateria) Sábado, 28: AP Quarteto AP (guitarra), Alexandre Dahmen (piano), Filipe Teixeira (contrabaixo) e Acácio Salero (bateria) Todos os concertos têm uma doação sugerida de cinco euros para o público em geral e de três euros para membros da associação, exceto o da iniciativa "Porta Aberta (entrada livre).”

*****

Casa da Música – Porto

Academia de Bailado Clássico Pirmin Treku (10 € - 30€) http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/16-maio-2016-academia-de-bailado-classico-pirmin-treku/45282/?lang=pt

[16/05/2016 - segunda-feira | 21:30 | Sala Suggia] No dia 16 de maio, pelas 21h30, a Academia de Bailado Clássico Pirmin Treku apresenta o seu espetáculo anual na Casa da Música. Conduzidos por músicas de Chopin, Minkus, Pugni, Tchaikovsky, Glazunov, os alunos mais velhos interpretam excertos dos grandes clássicos - como Les Sylphides, Paquita, Mirlitons, Raymonda. A som de Shostakovich, um grupo de alunos transporta para os dias de hoje, um bailado que faz parte da história da escola - "Foz" de Pirmin Treku. Os mais pequenos , levam o público numa viagem até aos anos 20 e 30, recordando Gershwin. Na segunda parte, pelas notas de Philip Glass, as alunas dançam uma recriação de Rui Lopes Graça, coreógrafo convidado da Academia. O espetáculo termina com todos os alunos em palco dançando o Port-de-Bras.

***

Quarteto de Cordas de Matosinhos (8€) http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/17-maio-2016-quarteto-de-cordas-de-matosinhos/43343/?lang=pt

Fim de Tarde | Música de Câmara - [17/05/2016 - terça-feira | 19:30 | Sala 2] - Clássica - Fim de Tarde, Música de Câmara Ao longo de 2016, o Quarteto de Cordas de Matosinhos celebra o Ano Rússia apresentando em todos os seus recitais um dos célebres Quartetos Russos de Haydn e um quarteto de um grande compositor russo. O ciclo abre com o Quarteto “O Pássaro”, assim designado pela semelhança entre os temas do seu primeiro andamento e o canto dos pássaros. A presença da música de autores portugueses é outra constante nos programas, sendo esta uma oportunidade para escutar a obra que Eurico Carrapatoso escreveu para o Quarteto de Matosinhos. A síntese entre a música do passado e do presente, marcada por uma influência da música tradicional e de raiz popular, encontra no Quarteto nº 3 de Schnittke um exemplo perfeito, razão pela qual esta obra é das mais conhecidas que o compositor russo compôs.

***

Clássicos de Viena (19€) http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/20-maio-2016-orquestra-sinfonica-do-porto-casa-da-musica/43196/?lang=pt

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música - [20/05/2016 - sexta-feira | 21:00 | Sala Suggia] - Clássica Haydn, Mozart e Beethoven permanecem como a tríade de compositores mais popular da História da Música, sendo associados ao Classicismo e à chamada Primeira Escola de Viena, rivalizando entre si as preferências do grande público. Em programa estão algumas das suas composições mais conhecidas. O pianista António Rosado interpreta o célebre Concerto em Lá maior de Mozart, cujo andamento lento constitui um dos mais belos sicilianos de todo o repertório. Tentar eleger a melhor peça entre este concerto e as duas sinfonias de Haydn e Beethoven em programa é uma tarefa aparentemente impossível. Já conhecer a interpretação do maestro Christoph Altstaedt, uma recente revelação no universo da direcção musical que tem reunido a unanimidade da crítica da especialidade, nos surge como uma proposta imperdível. “Altstaedt comunicou sempre de perto com a orquestra e dirigiu a sinfonia de Haydn “con spirito”. Frankfurter Neue Presse

***

Coral de Letras da Universidade do Porto (8€) http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/21-maio-2016-coral-de-letras-da-universidade-do-porto/44461/?lang=pt

Concerto Comemorativo do 50º Aniversário [21/05/2016 - sábado | 18:00 | Sala Suggia] - Clássica D. João IV (atribuído) Crux fidelis Alonso (Cancionero de Palacio) La tricotea Pedro de Escobar Clamabat autem Rossino Mantovano Lirum bililirum Giovanni Pierluigi da Palestrina Super flumina Babylonis Tomás Luis de Victoria Caligaverunt oculi mei Pierre Passereau Il est bel et bon Frei Manuel Cardoso Aquam quam ego dabo Thomas Tomkins Too much I once lamented Antonio Lotti Crucifixus Johann Sebastian Bach Den Tod (da Cantata nº 4) Robert Schumann Zigeunerleben Joseph Reinberger Abendlied Fernando Lopes-Graça Três Esconjuros Daniel Moreira Deus te guarde, pastorinha (Trás-os-Montes) Eurico Carrapatoso Ó meu Menino (Alentejo) José Luís Borges Coelho Vai-t' embora, papão (Baixo Alentejo) Fernando Lopes-Graça 3 Canções Regionais Portuguesas Fernando Lopes-Graça Não quero que vás à monda (Alentejo) Fernando Lopes-Graça 9 Canções Heróicas Dirigido desde a sua fundação pelo maestro José Luís Borges Coelho, o Coral de Letras da Universidade do Porto completa este ano 50 anos de um percurso intenso com concertos em todo o país e digressões internacionais. O repertório vasto e ecléctico é uma das características marcantes do coral, que desde o início fez da música portuguesa o seu eixo central. Neste concerto comemorativo podemos ouvir algumas das obras mais emblemáticas deste repertório, do repertório renascentista ao contemporâneo. Crux fidelis, de autoria atribuída D. João IV, e Ó Ladrão que te vais embora de Lopes-Graça integraram o programa inaugural apresentado pelo agrupamento a 2 de Maio de 1966, no Salão Nobre da Faculdade de Letras, pelo que é com especial simbolismo o Coral a elas regressa. As Heróicas de Lopes-Graça são acompanhadas por diferentes pianistas, de entre os que colaboraram com o CLUP ao longo dos anos: Isabel Rocha, Dalila Teixeira (em substituição de Álvaro Teixeira Lopes), Jaime Mota, Luís Filipe Sá, Miguel Borges Coelho, Fausto Neves, Bernardo Pinhal e Pedro Borges.

***

ECHO Rising Stars | 13 - 15 Maio | As futuras estrelas das salas de concerto europeias

A European Concert Hall Organization (ECHO) reúne as mais importantes salas de concerto da Europa. Todos os anos, desde 1995, os seus programadores e directores artísticos escolhem um grupo de jovens intérpretes que representam a sua aposta naquela que será a futura geração de concertistas. Estes músicos apresentam-se depois numa digressão europeia que percorre a maior parte dessas salas, levando consigo as escolhas artísticas das salas que os nomearam e novas obras escritas para eles por compositores de renome internacional. Em 2016, apresentam-se na Casa da Música as mais diversificadas formações, desde a harpa a solo ao quarteto de cordas, passando pelo trio com piano, o piano solista, o violoncelo e o canto na voz de um barítono. Não perca as jovens promessas do circuito internacional, nomes com provas dadas nos mais prestigiados concursos internacionais e na mira das grandes editoras discográficas.

13 Sex · 21:00 Sala 2 Trio Catch Laeiszhalle Elbphilharmonie Hamburg, Kölner Philharmonie, Festpielhaus Baden-Baden e Konzerthaus Dortmund apresentam: Trio Catch Boglárka Pecze clarinete Eva Boesch violoncelo Martin Klett piano Obras de Bertrand, Bull, Staud* e Beethoven + info

14 Sáb · 21:00 Sala 2 Quatuor Zaïde Philharmonie de Paris apresenta: Quatuor Zaïde Charlotte Juillard violino Leslie Boulin-Raulet violino Sarah Chenaf viola Juliette Salmona violoncelo Obras de Verunelli* e Beethoven + info

14 Sáb · 12:00 Sala 2 Cathy Krier Philharmonie Luxembourg apresenta: Cathy Krier piano Obras de Rameau, Schuler* e Ligeti + info

15 Dom · 16:00 Sala 2 Remy Van Kesteren Concertgebouw Amsterdam e Palais des Beaux-Arts Bruxelles apresentam: Remy Van Kesteren harpa Programa: Música Callada - homenagem a Federico Mompou + info

14 Sáb · 16:00 Sala 2 Harriet Krijgh Wiener Konzerthaus e Musikverein Wien apresentam: Harriet Krijgh violoncelo Magda Amara piano Obras de Mendelssohn, Doderer* e Franck + info

15 Dom · 18:00 Sala 2 Benjamin Appl & James Baillieu Barbican Centre London apresenta: Benjamin Appl barítono James Baillieu piano Obras de Schubert, Muhly e Schumann + info

***

Sheiks do Shake (10€) http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/22-maio-2016-sheiks-do-shake/42379/?lang=pt

“Espectáculos | Primeiros Concertos [22/05/2016 - domingo | 10:00 | Sala 2] - Espectáculos ( Famílias (crianças dos 3 meses aos 6 anos), Crianças ) Factor E! direcção artística e interpretação É dia de mil e uma noites. Há um tapete mágico, um génio da lâmpada. Há homens das Arábias, aventuras ao ritmo do Oriente. Depois de um bem-sucedido workshop, os Sheiks apresentam-se em concerto com um shake que soa a dum dum takata dum takata…

*****

Cinco concertos jazz no Espaço Montepio em maio - Porto24 http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&ct2=us&usg=AFQjCNHPptFZbbPQbZcwXGieP6BzwuAOgg&clid=c3a7d30bb8a4878e06b80cf16b898331&ei=AAItV5jlL-bUwAHi8onICw&url=http://www.porto24.pt/cultura/espaco-montepio-jazz-concertos/

Cinco concertos jazz no Espaço Montepio em maio Porto24 A iniciativa parte da associação Porta-Jazz e conta com o apoio da empresa camarária Porto Lazer. Em maio, o jazz continua pelo AV. Espaço Montepio, no número 90 da avenida dos Aliados, todos os sábados, pelas 19h, além de um concerto “Porta ...

*****

U.Porto celebra 20 anos de Porto – Património Mundial da Humanidade http://noticias.up.pt/universidade-celebra-20-anos-de-porto-patrimonio-mundial/

(notícia de Sexta-feira, 6 de Maio, 2016) “O Centro Histórico do Porto foi classificado como Património Cultural da Humanidade em 1996. (Foto: DR) Celebram-se em 2016 os vinte anos sobre a classificação do Centro Histórico do Porto como Património Cultural da Humanidade e, para assinalar a data, a Universidade do Porto vai promover uma jornada comemorativa composta por visitas guiadas e um ciclo de conferências a decorrer entre maio e novembro, sempre às 18h30, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto. A primeira conferência intitula-se “Processo de Candidatura do Porto a Património da Humanidade”, acontece dia 12 de maio, e ficará a cargo de Rui Losa, antigo Diretor do CRUARB (Projeto Municipal para a Reabilitação Urbana do Centro Histórico do Porto), onde coordenou o processo de candidatura do Centro Histórico do Porto à inclusão na Lista do Património Mundial da UNESCO. Autor de numerosos planos e projetos de arquitetura e de urbanismo e de um grande número de artigos, comunicações e conferências sobre Arquitetura, Planeamento, Reabilitação Urbana e Património, coordenou a equipa que elaborou, em 2008, o Plano de Gestão do Centro Histórico do Porto, Património Mundial. Foi ainda diretor da delegação do Porto do IHRU (Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana), administrador da Porto Vivo – SRU, Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense, e representante de Portugal no comité de peritos da UNECE (United Nations Economic Committee for Europe) sobre habitação sustentável, saudável e económica. “Quem vem e atravessa o Rio… O Porto património” é o título da conferência de Manuel Sampayo Graça, coordenador-geral dos Museus Municipais do Porto. Acontece no próximo dia 16 de junho. Em setembro, dia 22, será a vez do fundador e diretor do CITTA – Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente (FCT – UP/UC) falar sobre “Planeamento do Território na área classificada como património mundial”. Paulo Pinho foi também diretor do Programa Doutoral FCT em Planeamento do Território (UP/UC) e do Mestrado em Planeamento e Projeto Urbano (FEUP/FAUP). No dia 13 de outubro, Manuel Real, responsável pela Coordenação Científica da candidatura da Cidade do Porto a Patrimonio Cultural da Humanidade, irá apresentar um conferência sobre “A gestão do património arqueológico no Centro Histórico do Porto, 20 anos depois da classificação pela UNESCO”. A apresentação do projeto “Porto Património Mundial” ficará a cargo das docentes da FLUP Lúcia Rosas e Leonor Botelho e vai ter lugar a dia 10 de novembro. Associados a este ciclo de conferência ficaram ainda dois percursos que vão levar os participantes ao coração do Porto – Património Mundial. No dia 21 de maio, às 14h40, pelas “Intervenções premiadas no Centro Histórico do Porto”, com António Moura, e, dia 12 de junho, às 10h00, o tema será as “Festas de São João – Candidatura a Património Imaterial da UNESCO”. Este último ficará sob a alçada do jornalista e investigador da história da cidade do Porto, Germano Silva. A participação nos percursos é gratuita mas sujeita a uma inscrição obrigatória através do e-mail cultura@reit.up.pt Mais informações através do e-mail cultura@reit.up.pt e/ou do telefone 220 408 195.”

*****

Semana do México no Mercado Bom Sucesso http://www.google.com/url?q=http%3A%2F%2Fmailing.cm-porto.pt%2Ffiles%2Fcultura%2F06052016_semana%2520do%2520mexico%2520azul.jpg&sa=D&sntz=1&usg=AFQjCNGnwCv5Ck254rr_5EjtW2t6_ZlHmA

*****

Fado para todos na Baixa do Porto http://www.porto.pt/noticias/fado-para-todos-na-baixa-do-porto-



Por aqui me fico… e claro, com o desejo de… boas leituras! Até ao próximo click! )
publicado por Musikes às 19:47 link do post
04 de Maio de 2016

“GOTINHAS… CULTURAIS…”

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” Fernando Pessoa

A não perder! Aqui algumas sugestões culturais a lá dar um salto. ;)

Teatro Municipal do Porto

DANÇA SEX 6 MAI ⁄ 21H30 MARLENE MONTEIRO FREITAS DE MARFIM E CARNE - AS ESTÁTUAS TAMBÉM SOFREM [FESTIVAL DDD - DIAS DA DANÇA] AUDITÓRIO • CAMPO ALEGRE • 7,50 EUR • M/12

«O subtítulo deste projeto está relacionado com o filme de Alain Resnais e Chris Marker, "Les statues meurent aussi" (1953). (...) Dentro da estrutura do nosso projeto, os corpos-estátuas "sofrem de reminiscências": o corpo ágil e performativo torna-se também um corpo sintomático. (...) "De Marfim e Carne - as estátuas também sofrem" é um baile de figuras petrificadas.» — Marlene Monteiro Freitas + Info Foto © Pierre Planchenault

DANÇA SÁB 7 MAI ⁄ 21H30 RAIMUND HOGHE (ALEMANHA) SONGS FOR TAKASHI [FESTIVAL DDD - DIAS DA DANÇA] ESTREIA NACIONAL GRANDE AUDITÓRIO MO • RIVOLI • 10,00 EUR • M/6

«Neste espetáculo, continuo a minha colaboração com o bailarino japonês Takashi Ueno, que se tornou um dos bailarinos mais importantes dos últimos anos. O seu poder em palco e a poesia dos seus movimentos podem ser admirados nas minhas peças "Si je meurs laissez le balcon ouvert", "Pas de Deux", "Cantatas" e mais recentemente como convidado em "An Evening with Judy".» — Raimund Hoghe + Info Foto © Rosa Frank

TEATRO QUI 12 MAI ⁄ 21H30 ROMEO CASTELLUCCI (ITÁLIA) SOBRE O CONCEITO DO ROSTO DO FILHO DE DEUS (SUL CONCETTO DI VOLTO NEL FIGLIO DI DIO) GRANDE AUDITÓRIO MO • RIVOLI • 10,00 EUR • M/16

A partir da representação de uma imagem de Jesus, esta é uma reflexão sobre a sociedade contemporânea, sob a influência de uma religião que criou uma face para um ser cuja identidade é, por muitos, desconhecida. É uma performance com algumas das ideias fundamentais do teatro de Castellucci. Centra-se na religião, não como uma manifestação mística ou teológica, mas como parte desse conjunto de imagens primárias. +Info Foto © Klaus Lefebvre

MÚSICA QUA 18 MAI ⁄ 21H30 DEALEMA + CAPICUA PORTO BEST OF GRANDE AUDITÓRIO MO • RIVOLI • PREÇO ÚNICO 7,50 EUR • M/6

O segundo concerto Porto Best Of revisita o primeiro trabalho dos Dealema, o mítico "Expresso do Submundo" (1996), que foi recentemente reeditado em formato K7, uma prenda para os fãs que nunca tiveram acesso comercial a este disco. A noite começa com Capicua, um dos maiores talentos da nova música portuguesa. Em 2015, surge com "Medusa", um disco de remisturas e dois originais, no qual marcam presença alguns dos mais estimulantes projetos e mc's de hip hop e da atual música urbana de raíz eletrónica. +Info

url q=http%3A%2F%2Fwww.teatrom… Contactos Teatro Municipal Rivoli Praça D. João I, 4000-295 Porto +351 22 339 22 00

Teatro Municipal Campo Alegre Rua das Estrelas, 4150-762 Porto + 351 22 606 30 00

geral.tmp@cm-porto.pt

Ler mais! http://www.google.com/url?q=http%3A%2F%2Fwww.teatromunicipaldoporto.pt%2Fnewsletter%2F%3Fact%3Dpreview%26id%3D16%26email%3Dpc.caneko%40gmail.com&sa=D&sntz=1&usg=AFQjCNEFtFAqVlh0K8n9ky_tsZucJ3MyVQ

*****

Casa da Música – Porto

Spring On! As Novas Tendências do Jazz - 06 a 08 de Maio

O Spring ON! reúne algumas das propostas mais desafiantes do jazz actual, privilegiando os projectos de jovens músicos europeus. Com referências que circulam entre o rock, a electrónica, ou mesmo as tradições folk, sob a capa abrangente do jazz e o culto da improvisação, este será um fim-de-semana marcado pela frescura criativa e uma oportunidade para ouvir as novas tendências e os solistas que poderão marcar o jazz europeu dos próximos anos.

06 Sex · 22:00 Sala 2 POL BELARDI'S FORCE (Luxemburgo) David Fettmann saxofone Jérôme Klein piano Niels Engel bateria Pol Belardi baixo, composições THE RITE OF TRIO (Portugal) André Bastos Silva guitarra Filipe Louro contrabaixo Pedro Melo Alves bateria + info

07 Sáb · 22:00 Sala 2 CIRCADIA (SuÉcia) David Stackenas guitarras Kim Myhr guitarra Joe Williamson baixo Tony Buck bateria SLOW IS POSSIBLE (Portugal) Ricardo Sousa contrabaixo Patrick Ferreira clarinete João Clemente guitarra Duarte Fonseca bateria Bruno Figueira saxofone André Pontífice violoncelo Nuno Santos Dias piano + info

08 Dom · 19:00 Sala 2 CHROMB! (FranÇa) Léo Dumont bateria Camille Durieux piano, teclas Lucas Hercberg baixo, efeitos Antoine Mermet saxofone, voz HITCHPOP (Portugal) Miguel Ramos guitarra João Guimarães saxofone Marcos Cavaleiro bateria + info

Michael Nyman (30€) [11/05/2016 - quarta-feira | 21:00 | Sala Suggia] - Contemporânea

Michael Nyman é uma das mais incontornáveis referências da música contemporânea, compositor de excepção com uma obra vasta e reconhecida. O pianista regressa agora ao nosso país para se apresentar a solo, um dos formatos com que tem recolhido maiores elogios ao longo dos anos. A íntima relação que possui com o piano manifestou-se várias vezes ao longo da sua discografia e também na sua celebrada banda sonora para o filme de Jane Campion O Piano. Nyman assinou também bandas sonoras para filmes de Peter Greenaway e é autor de várias óperas, incluindo Facing Goya ou Sparkie: Cage and Beyond. Cidadão britânico, Michael Nyman já foi distinguido com uma condecoração pela Casa Real, possui no seu currículo prémios notórios como o Ivor Novello e o Golden Globe e, entre variadíssimos outros momentos altos de uma irrepreensível carreira, foi escolhido para tocar em Quioto em 2007 como parte do evento "Live Earth".

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/11-maio-2016-michael-nyman/43363/?lang=pt

***

Trio Catch (8€) ECHO Rising Stars - [13/05/2016 - sexta-feira | 21:00 | Sala 2] - Clássica

Laeiszhalle Elbphilharmonie Hamburg, Kölner Philharmonie, Festpielhaus Baden‑Baden e Konzerthaus Dortmund apresentam: Trio Catch Boglárka Pecze clarinete Eva Boesch violoncelo Sun‑Young Nam piano Programa: Christophe Bertrand Sanh John Bull (arr. Márton Illés) In Nomine XII Johannes Maria Staud Wasserzeichen (estreia nacional) Ludwig van Beethoven Trio op.11 “Gassenhauer” A European Concert Hall Organization (ECHO) reúne as mais importantes salas de concerto da Europa. Todos os anos, desde 1995, os seus programadores e directores artísticos escolhem um grupo de jovens intérpretes que representam a sua aposta naquela que será a futura geração de concertistas. Estes músicos apresentam-se depois numa digressão europeia que percorre a maior parte dessas salas, levando consigo as escolhas artísticas das salas que os nomearam e novas obras escritas para eles por compositores de renome internacional. Em 2016, apresentam-se na Casa da Música as mais diversificadas formações, desde a harpa a solo ao quarteto de cordas, passando pelo trio com piano, o piano solista, o violoncelo e o canto na voz de um barítono. Não perca as jovens promessas do circuito internacional, nomes com provas dadas nos mais prestigiados concursos internacionais e na mira das grandes editoras discográficas.

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/13-maio-2016-trio-catch-echo-rising-stars/43442/?lang=pt

***

Primeiras Sinfonias (15€) Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música - [14/05/2016 - sábado | 18:00 | Sala Suggia] - Clássica, Contemporânea

O lendário maestro Leonard Bernstein dizia que a Sinfonia Clássica era uma das partituras mais divertidas de sempre e que sempre o fazia rir. Prokofieff conseguiu recriar o ambiente das grandes sinfonias do período Clássico, recuperando as instrumentações, as formas e os ritmos do século XVIII, a própria linguagem tonal e o ambiente geral, com um toque do modernismo que despontava na Europa. A Primeira Sinfonia de Schnittke é claramente uma obra do nosso tempo. Também nela pairam as influências de diversos compositores do passado, citações de Chopin, Johann Strauss e Tchaikovski às quais se juntam coreografias dos músicos que se transformam numa espécie de manifesto. Rachmaninoff era um jovem estudante com 17 anos de idade quando escreveu o primeiro andamento de uma Sinfonia. A influência de Tchaikovski é nítida e o poema sinfónico Francesca da Rimini é apontado como modelo desta sinfonia incompleta mas cuja beleza justificou bem a sua inclusão no repertório. 17:15 Cibermúsica Palestra pré‑concerto por Fernando Lapa

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/14-maio-2016-orquestra-sinfonica-do-porto-casa-da-musica/43195/?lang=pt

***

Gamelão (4€) Workshop Música em Família [14/05/2016 - sábado | 10:30 | Sala Ensaio 2] - Workshops ( Famílias (crianças a partir dos 6 anos), Público Geral )

Philippe Martins formador Com inúmeras percussões autónomas, mas infinitamente ligadas, o gamelão é grandeza e sensibilidade. É o exemplo de família. Acessível a qualquer pessoa, revela a sua identidade sonora, exótica, quando tocado por todos. Esta é sempre uma oficina especial, de união, orientada por Philippe Martins, formador luso‑francês da Cité de La Musique (Paris).

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/14-maio-2016-gamelao/43589/?lang=pt ***

Era uma vez… (10€) Workshop Primeiros Sons [15/05/2016 - domingo | 10:30 | Sala Ensaio 1] - Workshops ( Crianças, Famílias ) Joana Araújo e Tiago Oliveira formadores

Quem imaginaria o Capuchinho Vermelho a dançar com o Gato das Botas? Ou o Lobo Mau a cantar um fado, muito incomodado com uma ervilha nas costas? Assim corre uma viagem musical, de humor e cor, por um conjunto de histórias infantis bem misturadas, outrora contadas e hoje cantadas!

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2016/05/15-maio-2016-era-uma-vez/44195/?lang=pt

*****

Coliseu – Porto

Maio no Coliseu Porto

O Lago dos Cisnes Commedia a la Carte Eusébio – Um Hino ao Futebol Jam Session CCC - 22 de Maio La Traviata Uma Noite na Lua – Gregório Duvivier Plaza Suite Secretaria de Estado da CulturaPorto.Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Facebook Rua Passos Manuel, 137 · 4000-385 Porto · T (351) 223 394 940

Ler mais! http://www.google.com/url?q=http%3A%2F%2Fcoliseu.pt%2Findex.php%3Foption%3Dcom_acymailing%26ctrl%3Darchive%26task%3Dview%26mailid%3D66%26key%3D3qFsVOpe%26subid%3D7495-QrnHrflrRZOMTd%26tmpl%3Dcomponent%26acm%3D7495_66&sa=D&sntz=1&usg=AFQjCNHxpcXQE_uedJOoWmytYRPhUAuYGQ

*******

Feita a marcação da agenda cultural… Bora lá às notícias da semana. Aqui ficam umas tantas eoutras que passaram.

Opinião – Jazz, República, Democracia http://www.asbeiras.pt/2016/05/opiniao-jazz-republica-democracia/

“Hélder Bruno Martins Renunciei ao mandato autárquico a partir de ontem. Regresso à minha atividade, enquanto doutorando e investigador do Instituto de Etnomusicologia – pólo da Universidade de Aveiro. Retomo também uma atividade mais operativa e que estava adormecida há já muitos anos: a composição e a performação (ao piano e na direcção musical). Estive, praticamente, durante 7 anos como vereador (Educação, Juventude, Cultura, Ciência e Património, Turismo) na Lousã. Lendo o contexto atual, analisando o momento e o novo ciclo que se inicia, entendo que é tempo de me retirar. É assim que defendo a participação cívico-política: temporária, limitada, rotativa. Curiosamente comemorou-se a 30 de abril o Dia Internacional do Jazz (DIJ). Estabelecido em 2012 pela UNESCO, o DIJ vem reconhecer o importante papel social, cultural, político, económico da música Jazz. A Diretora Geral da UNESCO, Irina Bokova, na primeira celebração do DIJ, disse: “Ao longo da sua história, o Jazz tem sido uma força de mudança social positiva (…) Esta música, cujas raízes remontam à escravidão, é uma expressão apaixonada contra todas as formas de opressão (…) fala a linguagem da liberdade que é compreendida por todas as culturas”. O Jazz emerge da idiossincrasia cultural entre as matrizes europeias e africanas. Funde os seus universos sónicos e estético-musicais, sintetiza-os e surge, assim, como uma nova música. Foi fonte de afirmação e superação (social, cultural, política e económica) dos africano-americanos, inicialmente, mas depois de toda a indústria da música, do cinema, da rádio, do entretenimento. Na década de 20 (do séc. XX) chegou a todo o mundo. Em Portugal, mesmo no mundo rural (nesse tempo, Lisboa não era muito mais cosmopolita do que o resto do país…) surgem os míticos “Jazzes”. Em 1923, António Ferro apresenta um conjunto de conferências no Brasil que designou “A Idade do Jazz-band” ( 2 .º edição publicada pela Portugália em 1924 ). O Jazz marcou mesmo uma época. E os EUA e a sua célere hegemonia muito devem a esta música: um canal de exportação e de comunicação tão poderoso. O Jazz é a pragmatização da República e da Democracia: um quinteto de jazz de referência, por exemplo, pragmatiza um estádio de desenvolvimento social e individual que nos possibilita compreender as exigências, por um lado, da vida em democracia, mas também, por outro lado, a possibilidade da sua concretização. O Jazz tem regras: um estilo de Jazz ou um tema específico tem uma “Constituição”, um conjunto de normas, que devem ser conhecidas e respeitadas por todos os músicos (“cidadãos”). Dominadas essas regras, é-lhes permitido afirmarem a sua individualidade/personalidade (sendo-lhes exigido o respeito pelas regras e a liberdade do outro). É verdadeiramente meritocrático e não há possibilidade de manipulação (subliminar, contra-informação, suborno ou corrupção): ou sabe ou não sabe, ou toca ou não toca. A improvisação (o espaço dedicado à afirmação individual de cada músico) tem regras e a liberdade é devidamente enquadrada por limites sociais e culturais verdadeiramente salutares. Há um entendimento claro acerca da importância da performance individual (da cidadania e da sua participação cívica) em prol da construção do colectivo, quer como suporte (intervenção/apoio social), quer como atitude empreendedora. E tudo isto é fundamental para a efectiva concretização da República e da Democracia.”

Aqui ensina-se jazz, com alma e muito improviso https://www.publico.pt/local/noticia/aqui-ensinase-jazz-com-alma-e-improviso-1730499

“Talvez nos corredores de uma escola de jazz a frase de um poema de Langston Hughes faça todo o sentido: “O ritmo da vida/ é um ritmo de jazz,/ querida./ Os deuses riem-se para nós”. No edifício da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas do Hot Club Portugal, a “casa” é dividida com a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Contudo, no segundo piso, abandona-se Mozart para dar lugar a Miles Davis. Os cartazes da década de 70 e 80 do Festival de Jazz de Cascais denunciam a maturidade da instituição, que nem o avançar da idade impede que esteja cada vez mais nova. “Há sempre pessoas interessadas em aprender jazz. Penso que a escola começou por essa razão, havia vários músicos amadores que queriam aprender a tocar”, explica Bruno Santos, director pedagógico e professor da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas. O legado do Hot Club Portugal no jazz abriu as (…)”

Exemplares "raros" dos Beatles em Viana do Castelo http://www.jn.pt/cultura/interior/exemplares-raros-dos-beatles-em-viana-do-castelo-5149448.html

“exposição de 2600 discos dos Beatles em Viana do Castelo. "Claro que os Beatles não lançaram tantos discos mas tenho edições da Coreia, Singapura, Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, França, Portugal, Jugoslávia, Rússia, entre muito mais", explicou à Lusa o colecionador Vítor Coutinho. Entre as "raridades" que integram a exposição "The Beatles - Sons e Tons" destacou "o álbum branco, com um exemplar no Old Dock Museum Experience, em Liverpool, o 'Black' que é o 'bootleg' mais raro da história da música, a coleção de discos dos Beatles na BBC de Londres, a primeira edição "Let it Be" com livro, que foi logo retirada do mercado por ser cara e o Wedding Álbum, do casamento dos Beatles". A mostra que abre, no sábado, no Museu do Traje, integra apenas 2600 dos mais de 36 mil discos em vinil e CD do espólio de Vítor Coutinho. A exposição "The Beatles - Sons e Tons" decorre entre 30 de abril e 26 de junho Explicou que nunca tinha pensado em expor a sua coleção, apesar dos convites que já tinha recebido de outras cidades. "Nunca aceitei porque fazia questão de expor na minha cidade", adiantou, destacando o apoio do pelouro da Cultura da Câmara de Viana do Castelo que "desde a primeira hora" (…)”

Lobo Antunes em versão fotográfica http://www.porto.pt/noticias/lobo-antunes-em-versao-fotografica

“Inaugura esta segunda-feira na Biblioteca Municipal Almeida Garrett a exposição de fotografia "O Mundo de Lobo Antunes", de Ana Carvalho. A mostra é inspirada no universo literário de Lobo Antunes, num conjunto de "cenários possíveis para histórias por contar", como a autora descreve. Ana Carvalho é natural do Porto, mas vive há vários anos na Holanda. Tradutora literária de profissão e entusiasta da fotografia, acabou por apostar na segunda vertente. Casada com Harrie Lemmens, tradutor para holandês da obra de António Lobo Antunes, essa "proximidade" com a obra do escritor despertou-lhe a relação da mesma com algumas das suas fotos. A leitura da crónica "O encontro" ligou-a a uma foto da sua autoria de "dois vultos que se cruzaram sem se encontrarem". A partir daí, decidiu ir em busca de outras fotografias que pareciam irradiar o ambiente que envolve a obra do escritor. (…)

*****

No “Pergaminho” desta semana…

Recital de piano com os clássicos http://www.porto.pt/noticias/recital-de-piano-com-os-classicos

“João Bettencourt da Câmara será o protagonista do recital de música marcado para o próximo domingo, 8 de maio, no Palacete Viscondes de Balsemão, com início às 17 horas. A sessão está integrada no Ciclo de Recitais de Música, organizado pela Câmara do Porto e Curso de Música Silva Monteiro, uma iniciativa que se realiza em três espaços municipais, sempre com entrada livre, aos domingos e às 17 horas. No Palacete dos Viscondes de Balsemão o ciclo dedica-se às obras para Piano e contará com a presença de músicos que interpretarão o repertório clássico escrito para este instrumento. João Bettencourt da Câmara estuda piano desde os três anos de idade, tendo em 2006 concluído, com a classificação máxima, o Curso de Piano no Conservatório Nacional, ao mesmo tempo que os estudos secundários no Colégio do Sagrado Coração (Lisboa). Deu o seu primeiro recital público aos sete anos de idade, e estreou-se como solista aos doze, executando o Concerto K. 414 de Mozart e, poucos meses depois, o Terceiro concerto de Beethoven, com a Filarmonia das Beiras, ao que se seguiram outros com diferentes orquestras portuguesas (Concerto de Grieg, Rhapsody in blue de Gershwin). Com dezassete anos, prestou provas de admissão a três escolas superiores de música em Londres (Royal College of Music, Guildhall School of Music and Drama e Royal Academy of Music), após as quais lhe foi oferecido um lugar em todas elas. Optou pelo Royal College of Music, que lhe atribuiu o estatuto de "Foundation Scholar" e que frequentou durante quatro anos como aluno de Piano de Ruth Nye, um dos raros discípulos de Claudio Arrau. Obtendo sempre elevadas classificações ("First Class Honours"), licenciou-se em 2010 com a classificação, no recital final do curso, de 93%, uma das mais altas da história do RCM, pelo que recebeu o Sarah Mundlak Memorial Prize For Piano, atribuído ao melhor finalista do ano. Para o mestrado, foi novamente admitido às mesmas escolas londrinas, escolhendo desta feita a Guildhall School (City University), onde concluiu o curso com distinção, como aluno do pianista Martin Roscoe. Em recitais e concertos em Portugal (Casa da Música, Centro Cultural de Belém, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Eugénio de Almeida, entre outros), Inglaterra, França e Espanha, vem-se afirmando como intérprete do grande repertório clássico (Bach, Mozart, Beethoven), romântico (Liszt, Chopin, Brahms, Rachmaninoff) e moderno (Debussy, Prokofiev). O seu primeiro disco comercial, consagrado a algumas das maiores obras de Liszt, foi recentemente editado pela Numérica. Desde 2013, é docente de Piano na Universidade de Aveiro, estabelecimento de ensino superior onde se encontra, igualmente, a concluir o Doutoramento.”

*****

Ao virar da página…

Vem aí dois fins de semana cor-de-rosa http://www.porto.pt/noticias/vem-ai-dois-fins-de-semana-cor-de-rosa_2

“Na próxima quinzena, o Pink Market terá uma sessão junto à praia e outra na Baixa do Porto. A 7 e 8 de maio, o Pink Market volta a reunir à beira-mar, entre as 11 e as 19 horas, dezenas de vendedores de artigos ligados à arte e à criatividade, produtos vintage e antiguidades. Além das habituais ofertas, o mercado irá acompanhar no domingo a corrida global Wings For Life. Uma semana depois, o tom rosa vai colorir o centro comercial La Vie Porto Baixa, não só com os artigos à venda, mas também com várias propostas de animação (música, teatro, capoeira, dança, pinturas faciais...). Esta edição do mercado será de quinta a domingo, dias 12, 13, 14 e 15 de maio, e poderá ser visitada entre as 10 e as 20 horas. O Pink Market conta com o apoio da Câmara do Porto e tem sempre entrada livre.”

O simples gráfico que resolve dilema do ovo e da galinha http://www.jn.pt/inovacao/interior/o-simples-grafico-que-resolve-dilema-do-ovo-e-da-galinha-5154053.html

“Um cientista inglês resolveu, de forma simplesmente desarmante, o dilema de quem apareceu primeiro, o ovo ou a galinha. James McInerney, professor de Biologia Evolutiva na Universidade de Manchester, no Reino Unido, respondeu de forma simples, no Facebook, à pergunta tantas vezes feita, se apareceu primeiro o ovo ou a galinha. Com um simples e desarmante gráfico no Facebook, tornou-se um sucesso nas redes socais. Com meia dúzia de linha, James McInerney explica que tartarugas, lagartos, cobras e crocodilos existiam antes dos pássaros. Como se reproduzem em ovos, está o mistério resolvido. Agora podemos todos voltar às nossas vidas", acrescentou James McInerney, no "post". Resta saber como responderá se alguém lhe perguntar quem apareceu primeiro, o ovo ou a tartaruga?”

Por aqui me fico… e claro, com o desejo de… boas leituras! Até ao próximo click! )
publicado por Musikes às 20:23 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Identifico-me totalmente com o argumento deste pos...
Obrigado pelas suas palavras.Viverá para sempre na...
Para mim, a canção mais bonita cantada em lingua p...
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
blogs SAPO