Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
26 de Novembro de 2017

Na descoberta de uma época que faz parte da evolução das sociedades, a música, à semelhança das outras artes, enuncia  através das suas sonoridades o que tanto caracteriza o século XIX.

 

Mais uma vez, pela mão de Franz Liszt a desbravar a sua vida e obra que tanto marcaria uma época.

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“Liszt nasceu em 22 de outubro de 1811 no vilarejo de Doborján (atual Raiding, Burgenland), então parte do Reino da Hungria, sob domínio Habsburgo, no comitato de Oedenburg. Foi batizado em latim com o nome "Franciscus", mas seus amigos mais próximos sempre o chamaram de "Franz", a versão alemã de seu nome. Era chamado de "François" em francês, "Ferenc", "Ferencz" ou "Ferentz" em húngaro; no seu passaporte de 1874, o nome registrado era "Dr. Liszt Ferencz".

A língua tradicional daquela região era o alemão, e apenas uma minoria sabia falar húngaro. Oficialmente, latim era utilizado. Seu pai, Adam Liszt, tivera aulas em húngaro no ginásio de Pozsony, hoje Bratislava, mas ele não aprendeu quase nada. Apenas a partir de 1835 as crianças de Raiding passaram a ter aulas de húngaro na escola. O próprio Liszt era fluente em alemão, italiano e francês; também tinha um pequeno domínio de inglês, mas seu húngaro era muito precário. Nos anos de 1870, quando todos os habitantes da Hungria foram forçados a aprender húngaro, Liszt tentou aprendê-lo, mas desistiu depois de algumas aulas. (… nacionalidade de Liszt foi causa de muita intriga e discussão. De acordo com pesquisas, seu bisavô, Sebastian List,[n 1] era um alemão que resolveu morar na Hungria no século 18. Como a nacionalidade de uma pessoa nascida na Hungria na época era herdada, seu avô e seu pai também seriam alemães. Seguindo este raciocínio, Liszt também deveria ser considerado alemão. A mãe de Liszt, Anna Maria Liszt, era austríaca. (…)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: VI. Variation V

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: VII. Cadenza

 

*****

 

“(…) Quando perguntado sobre sua nacionalidade, Liszt sempre respondia com orgulho que era húngaro, mesmo sem sequer falar a língua; durante toda sua vida usou seu passaporte húngaro para viajar. Este fato fez com que ainda hoje a maioria pense que ele era integralmente húngaro. (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: VIII. Variation VI

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: IX. Cadenza

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: X. Allegro animato

 

Franz Liszt: Venezia e Napoli: Gondoliera

 

Franz Liszt: 12 Etudes d'execution transcendante: I. Preludio (Prelude) in C - Presto

 

***

 

Aceita, mais uma vez, este modesto convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:53 link do post
24 de Novembro de 2017

Olá!

 

Desta vez, proponho uma curiosidade acerca de Leonardo Da Vinci.
Digamos que… aqui iremos espreitar o outro lado da ~música.

 

Porque partilhar é um prazer, aqui fica mais um desses momentos que tantos sorrisos suscitam.

 

Boas leituras!

 

*****

 

Um homem construiu finalmente um instrumento inventado por Da Vinci

(Mundo de Músicas: artigo publicado a 20/April/2016 por Eduardo Aranha - em Instrumentos Musicais)

 

“Leonardo Da Vinci é um dos maiores génios da história mundial. Hoje, o Museu do Louvre, em França, conta com algumas das suas pinturas mais importantes, como é o caso de Mona Lisa, mas o contributo que esta mente nos deixou vai muito além da tela.

 

Interessado em ciência e arte, Leonardo Da Vinci deixou-se levar muitas vezes pela imaginação para fazer esboços de ferramentas e invenções. Muitos desses esboços continuam ainda preservados no papel, já que ninguém – nem mesmo Da Vinci – lhes conseguiu dar vida. Porém, algumas das invenções que criou têm ganho forma pelas mãos de outros investigadores e curiosos.

 

Recentemente, foi isso que aconteceu quando um homem polaco, Slawomir Zubrycki, ficou interessado numa das invenções que Da Vinci tinha desenhado no Codex Atlanticus. Para quem nunca ouviu este termo, trata-se de um manuscrito de 12 volumes com projetos de Da Vinci que vão desde ideias para novas armas a planos para máquinas voadoras. (…)”

 

Leia mais!

 

***

 

E ainda haverá muito mais a partilhar.

E claro! Todas as novidades também no Facebook e Twitter.

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!

 

publicado por Musikes às 12:41 link do post
21 de Novembro de 2017

O período do romantismo leva-nos, por assim dizer,  a navegar por imensas paisagens sonoras. Foram momentos da História da Música Ocidental que marcaram gerações ao longo dos tempos.

 

Ouvir para conhecer, partilhar para divulgar, é este o  primordial prazer deste blogue..

E claro, a tua cumplicidade é o nosso gramafone.

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“(…) Como compositor, ele foi um dos representantes proeminentes da "Neudeutsche Schule" ("Nova Escola Alemã"). Deixou para trás um corpo extenso e diversificado de trabalho em que ele influenciou seus contemporâneos sobre o futuro e antecipou algumas ideias e tendências do século XX. Algumas de suas contribuições mais notáveis foram a invenção do poema sinfônico, desenvolvendo o conceito de transformação temática, como parte de suas experiências em forma musical e fazer rupturas radicais em harmonia.[5] Ele também desempenhou um papel importante na popularização de uma grande variedade de música de transcrição para piano. (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Totentanz: for Piano and Orchestra: I. Andante-Allegro-Allegro moderato (1º and.)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: II. Variation I (2º and.)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: III. Variation II (3º and.)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: IV. Variation III (4º and.)

 

Franz Liszt: Totentanz for Piano and Orchestra: V. Variation IV (5º and.)

 

Franz Liszt: Piano Concerto No. 2 in A Major, S. 125: I. Adagio sostenuto assai (1º and.)

 

Franz Liszt: Piano Concerto No. 2 in A Major: II. Tempo del andante (2º and.)

 

Franz Liszt: Piano Concerto No. 2 in A Major: III. Allegro deciso (3º and.)

 

***

 

Aceita, mais uma vez, este modesto convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:20 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO