Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
31 de Janeiro de 2018

“(…) a música e a arte de modo geral procuravam se desligar da arte do passado deixando aos poucos os salões dos palácios e pondo-se mais ao alcance da nova classe social em ascensão, a burguesia, e invadindo as salas de concerto, conquistando um novo público ávido de uma nova estética.” (http://www.beatrix.pro.br/index.php/o-romantismo-na-musica-1810-1910/)

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“(...) A Princesa Carolyne zu Sayn-Wittgenstein em 1847.

A Princesa Carolyne zu Sayn-Wittgenstein nasceu em 1819 e morreu em 8 de março de 1887 em Roma, e ficou conhecida por sua dedicação a Franz Liszt, com quem se reuniu em Kiev em 1847, durante uma de suas turnés. O encontro correspondeu ao desejo de Liszt de parar qualquer composição orquestral. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: 12 études d'execution transcendante, S. 139: XI. Harmonies du soir

 

Franz Liszt: 12 Etudes d'execution transcendante: Vii. Eroica in E-Flat Major - Allegro

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: I. Sposalizio

 

*****

 

“(...) O grão-duque de Weimar, tinha oferecido a Liszt um cargo de prestígio de Kapellmeister, e a princesa juntou-se a ele em fevereiro de 1848, vivendo juntos durante muitos anos. Carolyne era então, independente do seu marido já há algum tempo.

A Igreja Católica Romana eventualmente quis que a princesa casasse com Liszt e regularizasse sua situação, mas por ela estar ainda casada e o marido estar ainda vivo, a princesa teve que convencer as autoridades católicas de que seu casamento tinha sido inválido. Em setembro de 1860, depois de um intrincado processo, foi temporariamente bem sucedida. Estava previsto seu casamento em Roma, em 22 de outubro de 1861, no dia do 50º aniversário de Liszt. Este, tendo chegado a Roma em 21 de outubro de 1861, descobriu que a princesa, no entanto, era incapaz de se casar com ele, pois aparentemente, tanto o marido dela quanto o Czar da Rússia conseguiram revogar a permissão para o matrimónio no Vaticano.

O governo russo também apreendeu várias das suas propriedades, o que fez com que seu eventual casamento com Liszt, ou qualquer outro, fosse inviável. Além disso, o escândalo teria prejudicado seriamente a sua filha, claramente a razão principal pela qual o príncipe pôs fim ao casamento agendado. Posteriormente, seu relacionamento com Liszt tornou-se uma companhia platónica, especialmente depois dele ter recebido ordens menores na Igreja Católica e se tornar abade. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: III. Canzonetta Del Salvator Rosa

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: IV. Sonetto 47 Del Petrarca

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Troisième Année: IV. Les Jeux D'eaux À La Villa D'este

 

Franz Liszt: Benvenuto Cellini: Benediction and Oath

 

Franz Liszt: Czárdás Macabre

 

***

 

Mais um vez, deixo aqui o convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:49 link do post
26 de Janeiro de 2018

Mais uma vez pela mão de Franz Liszt, percorramos sua vida e obra que tanto marcaria uma época, e nem imaginam o quanto.

Poder-se-ía até afirmar que o seu estilo incomparável lançaria as bases das “Pop-stars” dos dias de hoje.

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“(...) Liszt conheceu sua primeira paixão logo após a morte do pai: Carolina de Saint-Cricq, sua aluna, que o correspondeu a princípio. Sua mãe, ciente da relação, morreu doente pouco tempo depois e alertou o marido sobre o amor da filha. O conde, então, tratou de informar Liszt que um noivo (o conde de Artigaux) já havia sido selecionado para sua filha. O músico nunca mais voltou ao palácio da família.

Liszt tinha tentado escrever sua Sinfonia Revolucionária já em 1830, mas no início da sua vida adulta centrou seus interesses principalmente em sua carreira como intérprete. Em 1847, Liszt era famoso na Europa como um virtuoso pianista. A "Lisztomania" percorria toda a Europa, e a carga emocional dos seus recitais converteram os concertos em "algo místico em vez de serem eventos musicais sérios", e a reação de muitos dos ouvintes poderia ser descrita como histérica.

O musicólogo Alan Walker afirma que "Liszt era um fenómeno natural e a gente era dominada por ele… Com a sua cativante personalidade, a sua larga melena de cabelo solto criou uma encenação assombrosa. Havia muitos testemunhos para declarar que a sua interpretação tinha melhorado realmente o estado de ânimo da audiência a um nível de êxtase místico". (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: 12 Etudes D'execution transcendante: X. Appassionata in F Minor - Allegro agitato molto

 

Franz Liszt: Transcriptions from "Die schöne Müllerin", Op. 25: Wohin? (No. 2)

 

Franz Liszt: Transcriptions from "Die schöne Müllerin", Op. 25: Ungeduld (No. 7)

 

*****

 

“(...) Os pedidos para realizar concertos «aumentaram exponencialmente» e «cada aparição pública provocava a procura de outra dúzia». Liszt desejava compor música, como trabalhos orquestrais a grande escala, mas acabava por não ter tempo para isso devido às suas viagens como virtuoso do piano.

Em Setembro de 1847 Liszt deu o seu último recital público como artista contratado, e anunciou a sua retirada do circuito de concertos, instalando-se em Weimar, onde tinha sido Kapellmeister honorífico em 1842, para trabalhar em suas composições. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Premiere Année: VII. Eglogue

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Premiere Année: IX. Les Cloches De Genève

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: I. Sposalizio

 

Franz Liszt: Forest Murmurs "Waldesrauschen"

 

Franz Liszt: Grosse Fantasie for Piano and Orchestra, S. 366 (After Franz Schubert's "Wanderer Fantasie")

 

Franz Liszt: Bagatelle Without Tonality

 

***

 

Uma vez mais, deixo aqui o convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:51 link do post
21 de Janeiro de 2018

Na descoberta de uma época que faz parte da evolução das sociedades, a música, à semelhança das outras artes, enuncia  através das suas sonoridades e formas, o que tanto caracteriza o século XIX.

 

E entremos, mais uma vez, pela mão de Franz Liszt a desbravar a sua vida e obra que tanto marcaria uma época.

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

)“(…) A partir de julho de 1822, Liszt passou a ter aulas de composição com Antonio Salieri, o último professor de Beethoven.[8] De acordo com uma carta deste ao Príncipe Esterházy datada de 25 de agosto de 1822, até então ele havia introduzido Liszt a alguns elementos da teoria musical, sendo que mais aulas viriam depois destas. Visto que os admiradores de Liszt o tratavam como um prodígio, Salieri sabia que havia aceitado uma tarefa nada fácil.

Na mesma época, a família Liszt conheceu Anton Felix Schindler, amigo de Beethoven por meio do qual o garoto via uma chance de conhecer seu ídolo. Schindler conseguiu o encontro, mas Beethoven, à altura já lutando contra a surdez e a pobreza, pouco se interessou em conhecer o húngaro. Contudo, em 13 de abril de 1823, Beethoven compareceu a um concerto de Liszt e, ao final da sua apresentação, beijou a testa do garoto. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt))

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Premiere Année: V. Vallée D'obermann

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: II. Il Peuseroso

 

Franz Liszt: Hungarian Rhapsody No. 5 in E Minor

 

*****

 

“(...) Altenburg, residência de Franz Liszt em Weimar, entre 1848–1861, época na qual compôs os seus primeiros doze poemas sinfónicos.

Na primavera de 1823, quando o ano de ausência concedido a Adam Liszt estava chegando ao fim, este pediu em vão ao príncipe mais dois. Adam mais tarde pediu demissão ao príncipe, e no fim de abril de 1823, a família voltou pela última vez à Hungria. Liszt deu concertos em Pest nos dias 1° e 24 de maio. Também participou de concertos nos dias 10 e 17 de maio no "Königliches Städtisches Theater" e em 19 de maio na "Vergnügliche Abendunterhaltung". Neste último evento, Liszt tocou um arranjo para piano da Marcha de Rackózy, algumas danças húngaras e peças de Antal Csermák, János Lavotta e János Bihari. No fim do mês, a família retornou a Viena.

Ao final de 1823, os Liszt foram a Patis tentar fazer o garoto entrar no conservatório de Paris e conseguiram uma reunião com o diretor da instituição, que encerrou o sonho deles ao informá-los de que apenas franceses poderiam estudar lá.[10] Em 1827, seu pai adoeceu e morreu no dia 28 de agosto, alertando o filho em suas últimas palavras de que ele seria dominado pelas mulheres em sua vida. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Les Préludes - Symphonic Poem No. 3

 

Franz Liszt: Faust: Mephisto-Waltz

 

Franz Liszt: Orpheus - Symphonic Poem No. 4

 

Franz Liszt: Transcriptions from "4 geistliche Lieder": Litanei

 

Franz Liszt: 12 Etudes D'execution transcendante: XII. Chasse-Neige (Snow Whirls) in B-Flat Minor - Andante con moto

 

Franz Liszt: 12 Etudes d'execution transcendante: Viii. Wilde Jagd (Wild Hunt) in C Minor - Presto Furioso

 

***

 

Mais um vez, deixo aqui o convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:25 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO