Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
13 de Fevereiro de 2020

Grandes Músicas… Grandes Épocas!...

 

De fomentar a inteligência a prolongar a esperança média de vida, a leitura só traz benefícios

 

No âmbito da iniciativa Ler Faz Bem, segundo a revista Visão, aqui sete benefícios de ler um livro, segundo a ciência.


 


 

primeiro livro impresso data do séc. XV, mas antes de Cristo já o Homem começara a escrever em folhas de papiro, no Egito. Desde então quase todo o conhecimento ficou gravado em páginas de livros e, nas últimas décadas, as obras publicadas cresceram ainda mais em número, assim como foram surgindo investigações sobre os benefícios da leitura.

 

Não deixe de ler.

Conheça os 7 benefícios da leitura aqui!

 

 


Segue o Musikes em…


publicado por Musikes às 12:04 link do post
12 de Fevereiro de 2020

Grandes Músicas… Grandes Épocas!...

 

A paisagem é o principal atrativo deste percurso, mas como verá haverá muito mais para fazer neste pedacinho de Portugal que lhe vamos sugerir. Património histórico, edifícios emblemáticos e tradições seculares são apenas algumas das atrações incríveis de que pode usufruir, se fizer este percurso. Dedique um dia a conhecer uma porção do nosso país, sob o pretexto de admirar as deslumbrantes amendoeiras em flor.

 

 

Para muitos, as primeiras semanas de março já estão reservadas para um passeio único: ver as amendoeiras em flor. São várias as empresas de transporte e de turismo a organizar percursos até lá. O que lhe propomos aqui deve ser feito de carro e passa por zonas como Freixo de Espada à Cinta, Barca d’Alva, Castelo Rodrigo, Vila Nova de Foz Côa, Torre de Moncorvo e Vila Flor.

 

 

Saiba mais aqui!

 

 



Segue o Musikes em…



publicado por Musikes às 08:50 link do post
12 de Fevereiro de 2020

A continuar a conhecer a vida e obra de Georges Bizet, compositor francês do século XIX - O Romantismo.

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Georges Bizet

(1838-1875)

 

“(…) Quando acabou a ajuda financeira proporcionada pelo Prémio de Roma, Bizet compreendeu que não podia viver da composição. Aceitou então alunos para piano e composição, mas a sua atividade principal era a de fazer transcrições 

para piano de óperas e outras peças, bem como arranjos orquestrais para todos os tipos de música.

Bizet assistiu em 1861 à estreia parisiense de Tannhäuser de Wagner, o que só reforçou a sua opinião sobre Wagner, cuja música já antes tinha considerado excêntrica. Bizet achava que Wagner estava acima de todos os compositores vivos. (…)” (http://www.rtp.pt/antena2/geral/georges-bizet_2702)

 

Richard Wagner: Tannhäuser Ópera Overture

 

Georges Bizet: Allegro vivace (Fourth Movement) from "Symphony in C Major"

 

Georges Bizet: Minuet from L'Arlesienne Suite No. 2

 

Georges Bizet: Danse bohemienne from Carmen Suite No. 2

 

 

Segue o Musikes em…

Facebook  Twitter  Padlet

publicado por Musikes às 08:09 link do post
11 de Fevereiro de 2020

Grandes Músicas… Grandes Épocas!…
 
Portugal faz parte dos cerca de 150 países que assinalam este dia e o objetivo é conscencializar para os diferentes problemas que podem surgir com a utilização da Internet.
 
 

Dia da Internet MAIS Segura reúne cerca de 150 países para "trabalhar por uma Internet melhor". Em Portugal são várias as iniciativas que querem sensibilizar para a importância da adoção de práticas em que a segurança é a palavra de ordem.

 

O site oficial do Dia da Internet Mais Segura ajuda a ter uma ideia da internacionalização desta data, com a plataforma a organizar as iniciativas organizadas por cada país. No caso português, é possível confirmarem-se vários eventos, nomeadamente o encontro promovido pelo Centro Internet Segura, que tem como tema o ciberbullying.

 
Saiba mais aqui!
 
 
Segue o Musikes em…
publicado por Musikes às 11:05 link do post
06 de Fevereiro de 2020

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Georges Bizet

(1838-1875)

 

“(…) Ao receber notícias de que a sua mãe estava doente, Bizet deixou Roma e voltou a Paris. Nessa altura sentia-se financeiramente seguro, o que de alguma forma o fez ignorar as dificuldades por que passavam outros compositores.

Os dois teatros de Ópera, a Ópera Nacional de Paris e a Ópera Cómica, apresentavam repertórios tradicionais que sufocavam os novos talentos que chegavam à capital francesa. Apesar dos compositores franceses estarem 

mais presentes na programação dos teatros líricos, o estilo e o caráter das produções permanecia inalterado desde a década de 1830. Os pequenos teatros apresentavam operetas, onde Offenbach era fundamental, e o Teatro Italiano, claro, só apresentava óperas italianas. Restava, como perspetiva para os novos compositores de ópera, a Companhia do Teatro Lírico, que apesar das crises financeiras se manteve ativa sob a direção de Léon Carvalho. (…)” (http://www.rtp.pt/antena2/geral/georges-bizet_2702)

 

Georges Bizet: Farandole from L'Arlesienne Suite No. 2

 

Georges Bizet: Berceuse from Jeux d'enfants

 

Georges Bizet: Galop from Jeux d'enfants

 

Georges Bizet: Danse bohemienne

 

 

Segue o Musikes em…

Facebook  Twitter  Padlet

publicado por Musikes às 08:49 link do post
05 de Fevereiro de 2020

Grandes Músicas… Grandes Épocas!...
 
O único cinema da baixa do Porto reabriu há três anos, deu nas vistas e consolidou-se. A festa de aniversário acontece de 5 a 16 de fevereiro com antestreias diárias, filmes nacionais e documentários.
 
 
 

Inaugurado em 1913 como Salão Jardim da Trindade, o espaço incluía uma sala de espetáculos com cinema, um salão de festas, café, bilhares e um terraço. Depois de ter sido remodelado algumas vezes, o Cinema Trindade não conseguiu sobreviver ao declínio da zona histórica do Porto e acabou por fechar portas em 2000. Seis anos depois reabriu ao público, no mesmo edifício do Bingo da Trindade, pela mão de Américo Santos, fundador da distribuidora Nitrato Filmes.

 

“O cinema nunca deixou de existir no Porto, mas acontecia sempre de forma pontual e dispersa. Há três anos mudámos o paradigma do cinema na baixa ao introduzirmos uma proposta que consistia numa média de oito a dez sessões diárias e uma programação baseada em estreias tradicionais” (…)

 

(…) Oferecer cinema diariamente numa sala isolada foi uma aposta arriscada, principalmente numa altura em que “o modelo concorrencial dos centros comerciais estava muito implementado”. Ainda assim, o programador acredita que conseguiu apresentar uma sala singular, confortável, familiar e acolhedora, com uma programação plural. “Um dos fatores que muito contribuiu para o sucesso do Trindade foi o Rivoli. Quando surgimos, há três anos, o Rivoli já tinha feito todo um trabalho de valorização de público e hábitos de cultura na baixa. Acompanhamos essa mudança que já estava em curso, contribuímos para essa dinâmica e beneficiamos com isso.”

 
Leia mais aqui!
 
 
Segue o Musikes em…
publicado por Musikes às 11:00 link do post
04 de Fevereiro de 2020

Grandes Músicas… Grandes Épocas!...
 

A 10ª edição do Festival Porta-Jazz ocupa seis espaços do Teatro Rivoli de 7 a 9 de fevereiro e na bagagem traz projetos novos e nomes veteranos. São 16 concertos com músicos de 12 nacionalidades.

 
  •  

Junto ao número 305 da Rua João das Regras, no Porto, a música ouve-se no passeio. Se para uns estes acordes são uma novidade, para outros é uma companhia habitual, já que a Porta-Jazz, que ali tem a sua morada principal, costuma ter concertos todas as semanas. Desta vez é diferente: ensaia-se para o festival homónimo que este ano completa dez anos de vida.

Um ponto de encontro para o jazz que se faz no Porto e no mundo

 

Criada para ser um polo agregador dos músicos de jazz na cidade, que até 2010 estavam dispersos, a Associação Porta-Jazz cresceu, consolidou-se e construiu pontes para apoiar, estimular e incentivar a criação artística. “Se na primeira edição do festival o propósito era formar uma comunidade local, agora é a confirmação de que essa comunidade não é apenas local, é um movimento que ultrapassa os músicos do Porto”, começa por explicar João Pedro Brandão, fundador e diretor da Porta-Jazz.

Prova disso é o número de parcerias, colaborações e residências, onde além do trabalho nasce quase sempre uma amizade. “Desafiamos os músicos a saírem da sua zona de conforto, a não tocar só com o vizinho, mas também com o artista que está longe e que, de certa forma, admira.” Ao proporcionar esses encontros, João Pedro acredita que está a “enriquecer o meio”, uma vez que este tipo de experiências “trazem um efeito real no futuro”.

Programação e mais aqui!
 
 
Segue o Musikes em…
publicado por Musikes às 15:20 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Identifico-me totalmente com o argumento deste pos...
Obrigado pelas suas palavras.Viverá para sempre na...
Para mim, a canção mais bonita cantada em lingua p...
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
blogs SAPO