Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
10 de Dezembro de 2018

"É na aparente impossibilidade que chegamos à possibilidade das ideias. As ideias são sempre olhadas com desconfiança no início, mas é a sua execução com a qual sempre sonham.”, e é já amanhã na rádio Antena 3! A ler e sintonizar.
Fernando Alvim, radialista e humorista, é um idiota de serviço, com muito orgulho. Talvez por isso, e porque não consegue estar quieto, organizou o Festival de Ideias Idiotas que vai decorrer na próximaa ler e sintonizar o rádio. terça-feira no São Jorge, em Lisboa.
 
O objetivo é juntar muitos idiotas que não acreditam em impossíveis, e averiguar qual a melhor ideia que faz falta ao mundo trazida a concurso. As ideias serão avaliadas por um júri, e no final há um prémio - todas as receitas de bilheteira angariadas (3 euros a entrada). Nada mau, mas neste caso o que conta mesmo é inventar e participar. Descubra porquê nestas seis perguntas a Fernando Alvim.
 

Como se pode participar?

 
Podem vir ser idiotas presencialmente na próxima terça-feira no São Jorge, das 18h às 20h, ou podem participar por video ou audio. Podem inscrever se pelo mail: festivalidiota@gmail.com ou pelo numero de whatsapp 960386272.
 
publicado por Musikes às 12:57 link do post
09 de Dezembro de 2018

“(…) Em comparação com a informação visual, sabe-se pouco sobre memória de longo prazo com base em informação captada por outros sentidos, o que levou o investigador e o seu coautor Christof Kuhbandner a focarem-se especificamente em experiências baseadas no toque. (…)"
 
Aqui o convite a descobrir o que tão importante significa para os cegos.
Ora leiam!
 
 
“(…) Publicado no Psychological Sciences, um novo estudo concluiu que os participantes conseguiam identificar visualmente um objeto que nunca tinham visto mas no qual tinham tocado uma semana antes, sem intenção de o memorizar. Segundo o investigador Fabian Hutmacher, da Universidade de Regensburg, na Alemanha, isto "é ainda mais notável porque os objetos que entraram no teste de reconhecimento só podiam ser identificados com base em detalhes subtis detetáveis ao tato e muito pouco com base em detalhes visuais”. (…)"

 

Saiba mais!

publicado por Musikes às 12:36 link do post
06 de Dezembro de 2018

Aqui um artigo do blog "Mundo de Músicas" que coloca a questão na audição ou não de música clássica como impulsionadora do nosso desempenho cerebral. Será que influencia mesmo?
Ora... leiam e descubram!
 
 

Ouvir música clássica torna-nos mais inteligentes?

 

Trata-se de um dos maiores mitos do Mundo da Música: ouvir música clássica, de grandes compositores como Mozart, Bethoveen ou Bach, faz de nós pessoas mais inteligentes? Por todo o mundo, há muitas a pessoas a recorrer a este tipo de música enquanto estuda ou leem algo complexo, confiantes de que só assim conseguem melhorar o seu desempenho e alcançar o melhor resultado.

Porém, será que isto é mesmo verdade?

 

Este mito é tão popular que já recebeu um nome: chama-se o Efeito Mozart e tem sido alvo de várias investigações ao longo dos últimos anos. Na década de 90 começou a sentir-se com mais força, especialmente quando milhares de pais começaram a expor os seus filhos a longas sessões de música clássica. Mais bizarro ainda foi o caso de alguns criadores de gado que compraram álbuns de Mozart para… induzir os seus rebanhos a produzir leite com melhor qualidade!

 

Ouvir música clássica: o que dizem as investigações?

 

Uma das primeiras investigações sobre este efeito tinha como base um grupo de estudantes que se submeteu a vários testes mentais depois de ouvir músicas de relaxamento. Uma vez terminado o exercício, ficaram em silêncio e escutaram logo de seguida uma sinfonia de Mozartdurante 10 minutos. Conclusão? Os investigadores perceberam que os estudantes que ouviram música tiveram um melhor desempenho na hora de fazer um teste que envolvia formas geométricas.

Isto foi suficiente para que as composições de Mozart começassem a ser usadas por todo o mundo, sempre com o objetivo de melhorar o desempenho de quem precisa de estudar ou fazer um trabalho difícil.

 

Porém, investigações mais recentes demonstraram que ouvir música não nos torna necessariamente mais inteligentes, como se pressupunha. No entanto, é verdade que exercem um fator positivo sobre a nossa habilidade para manipular formas geométricas mentalmente. E atentem bem no que escrevemos: já não estamos a falar de música clássica mas sim de música em geral. Não precisamos de ouvir Mozart para que a nossa atividade cerebral seja estimulada e refinada, por assim dizer. Basta ouvirmos alguma coisa que nos agrade.

Músicas, poesia, o som da chuva e outros barulhos da natureza: todos os sons são válidos para melhorar a nossa capacidade cognitiva… desde que gostemos de os ouvir! Aliás, de acordo com a BBC, este efeito pode ir além da música: também pode ser alcançado quando fazemos qualquer coisa que nos deixe felizes.

 

Só nos resta então perguntar: então afinal não há como usar a música para ficarmos mais inteligentes?

 

Uma investigação realizada no Canadá sugere que aprender a tocar um instrumento musical pode melhorar o nosso desempenho cerebral, e que um ano de aulas de piano combinadas com práticas regulares podem aumentar de facto o nosso QI em até três pontos.

publicado por Musikes às 12:49 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO