Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
30 de Novembro de 2015

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” Fernando Pessoa

No “Gotinhas” desta semana, estas e outras novas que passaram.

A não perder! Aqui algumas sugestões culturais a lá dar um salto. ;)

Casa da Música – Pporto

Vamos Cantar (4€)

Workshop Música em Família [05/12/2015 - sábado | 14:30 | Sala Ensaio 2] ( Famílias (crianças a partir dos 6 anos), Público Geral ) Joana Araújo e Tiago Oliveira formadores Surpreendam-se. Bastam uns exercícios simples e os cantores de chuveiro até acertam no tom. As vozes pequenas crescem, as grandes aprendem a se controlar. Técnica à parte, canta-se alto e sem medo. E em união, que isto é família.

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2015/12/05-dezembro-2015-vamos-cantar/42438?lang=pt

A pintura de Beethoven (6€)

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música - [06/12/2015 - domingo | 12:00 | Sala Suggia] - Clássica - Concerto comentado, Leopold Hager, Agrupamentos residentes Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música Leopold Hager direcção musical Concerto comentado por Helena Marinho L.Van Beethoven Sinfonia nº2 A Segunda Sinfonia de Beethoven reflecte a afirmação de um estilo pessoal que se tornaria inconfundível. Com um primeiro andamento grandioso e pleno de contrastes dinâmicos e de orquestração, tem no Larghetto seguinte uma invenção melódica prodigiosa. Berlioz disse que “era uma pintura deslumbrante de uma felicidade inocente apenas ensombrada por alguns raros acentos de melancolia”. Através dos comentários de Helena Marinho e da direcção de um aclamado maestro do repertório Clássico vienense, Leopold Hager, partimos à descoberta desta pintura e dos seus mais preciosos detalhes.

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2015/12/06-dezembro-2015-orquestra-sinfonica-do-porto-casa-da-musica/39399?lang=pt

Ressurreição (10€)

Sinfonia nº 2 em Dó m. de Gustav Mahler [07/12/2015 - segunda-feira | 21:30 | Sala Suggia] A RESSURREIÇÃO, integrada na comemoração dos 30 anos do Instituto Politécnico do Porto, corresponde ao desejo de erguer um projeto artístico em torno de uma comunidade inteira dando resposta ao apelo polifónico da vida. Partindo da 2ª Sinfonia de Mahler – a sua primeira a usar a voz humana – a Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE) desafiou os seus três departamentos (Música, Teatro e Artes da Imagem) a interpretarem artisticamente o desafio de Mahler quando escreve “Ó crê, Tu não nasceste em vão!” enfatizando em todos nós a redenção humana. Tudo isto porque acreditamos que há sempre uma segunda hipótese de nos pormos perante a vida. A RESSURREIÇÃO de Mahler será apresentada no dia 7 de dezembro na Casa da Música, Sala Suggia, antecedida por uma representação dramática e questionadora que envolve alunos, ex alunos e docentes dos três departamentos num total de trezentos participantes. Também são parceiros deste projeto os coros da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto e da Universidade de Aveiro. Ao mesmo tempo e num verdadeiro exercício de antecipação e questionamento, a ESMAE colocou em cena a RESSURREIÇÃO: LINHAS DE VIDA entre os dias 25 e 29 de novembro no Teatro Helena Sá e Costa, num exercício dramático do Departamento de Teatro com a colaboração do Departamento de Música e das Artes da Imagem. Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo / Instituto Politécnico do Porto Orquestra Sinfónica e Coro Geral da ESMAE Coro da Escola Superior de Educação / IPP Coro da Universidade de Aveiro Alunos do 3º ano da Licenciatura em Teatro da ESMAE Alunos do 2º ano do Mestrado em Comunicação Audiovisual da ESMAE António Saiote direcção musical Bárbara Francke direcção coral Lee Beagley encenação Solistas a designar Sinfonia nº 2 em Dó m. de Gustav Mahler

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2015/12/07-dezembro-2015-ressurreicao/43310?lang=pt

O Natal dos Irmãos Grimm (7,50€)

Espectáculos | Concertos para Todos [12/12/2015 - sábado | 16:00 | Sala 2] - Espectáculos ( Famílias, Público Geral ) Jorge Queijo e Maria Mónica direcção musical Ensemble de Gamelão Casa da Música e Filipe Caco interpretação É um casamento inédito entre histórias da tradição europeia e sonoridades do Oriente. A partir de contos infantis escritos pelos irmãos Grimm, desenha‑se um espectáculo original, com música criada pelo Ensemble de Gamelão Casa da Música. Na companhia de personagens encantadas, cai-se nos braços da magia até chegar o final feliz.

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2015/12/12-dezembro-2015-o-natal-dos-irmaos-grimm/42393?lang=pt

Omar Sosa Quartet (16€)

[09/12/2015 - quarta-feira | 22:00 | Sala Suggia] - World Omar Sosa piano e voz Ernesto Simpson percussão Leandro Saint-Hill saxofone, flauta e clarinete Childo Tomas baixo Influenciado pela música afro-cubana, por compositores clássicos e ainda pelos nomes maiores do jazz, Omar Sosa tem traçado um caminho musical singular. O Quarteto do pianista pauta-se pela fusão de jazz, world music, hip hop e electrónica com as raízes afro-cubanas dos seus membros. Recheado de interpretações contemporâneas de alguns dos clássicos da música cubana, o álbum Ilé, editado pelo quarteto em 2015, marca o regresso de Omar Sosa à Havana dos anos 80 e 90, com um flashback aos sons da sua infância e adolescência.

Ler mais! http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2015/12/09-dezembro-2015-omar-sosa-quartet/42516?lang=pt

*****

Câmara Municipal do Porto

Inauguração da exposição “ A Felicidade em Júlio Pomar” – 5 de dezembro, 16h00 – Galeria Municipal do Porto

Última inauguração do ano na Galeria Municipal do Porto: A Felicidade em Júlio Pomar /Obras das Colecções Millennium BCP /Atelier-Museu Júlio Pomar, com curadoria de Sara Antónia Matos e Pedro Faro. Dia 5 de dezembro, às 16h00, entrada livre.

Ler mais! http://www.google.com/url?q=http%3A%2F%2Fmailing.cm-porto.pt%2Ffiles%2Fcultura%2F27112015_MUPI_web1500pomar.jpg&sa=D&sntz=1&usg=AFQjCNFlQa_6brfgRERWfL5_z91KUvCJRg

Arca de Natal em São Bento

Nos dias 1 e 2 de dezembro, das 10 às 18,30 horas, o átrio da Estação de S. Bento recebe mais uma edição da Arca de Natal - uma exposição para venda de produtos com fim solidário. "Faça das suas compras de Natal um gesto de solidariedade" é o mote desta iniciativa organizada pela Câmara do Porto. As receitas das vendas revertem a favor de cada Instituição de Solidariedade.

Ler mais! http://www.porto.pt/noticias/arca-de-natal-em-s--bento

*****

Biblioteca Almeida Garret

Visitas guiadas à exposição Agostinho Ricca – arquitetura e obra | Galeria Municipal do Porto

Ler mais! http%3A%2F%2Fbmp.cm-port…

*******

E agora as novidades! PRONTOS? Bora lá a elas! He-He!! ;)

Este Natal a magia do Novo Circo acontece no Coliseu

A magia do circo está de volta ao Coliseu Porto de 11 de dezembro até 3 de janeiro. O Monumental Circo regressa à cidade, numa edição totalmente programada pelo Coliseu. A proposta é de um espetáculo de Novo Circo, mais contemporâneo e inovador, um circo que se apresenta sem animais, muito menos enjaulados, num ambiente cuidado, pensado e adaptado especialmente para este espetáculo. São muitas as disciplinas artísticas deste novo circo: equilibrismo, acrobacia, trapézio, malabarismo, trampolim, aéreo de tecidos e fitas, quick change, rola-rola, palhaços e muita magia. Esta temporada traz também uma seleção clássica e eclética que inclui escolhas como a trupe de equilibristas do Circo Nacional de Xangai, o triplo salto mortal dos trapezistas The Flying Aces, o acrobata do Cirque du Soleil Nicole Burgio, e muitos outros artistas. Em palco vão estar diferentes nacionalidades para fazer o circo ganhar vida, neste que é um evento com décadas de história e que começou nos primeiros anos de vida do Coliseu Porto.

Ler mais! http://www.porto.pt/noticias/este-natal-a-magia-do-novo-circo-acontece-no-coliseu-porto

As 10 perguntas para entender a teoria da relatividade de Einstein

“Passaram 100 anos desde a apresentação da teoria geral da relatividade de Albert Einstein. Deixamos-lhe dez perguntas para perceber a teoria. Albert Einstein desenvolveu a teoria da relatividade, um dos pilares da física moderna. No dia 25 de novembro de 1915 Albert Einstein apresentou a fórmula definitiva da teoria da relatividade, introduzindo o misterioso conceito da curvatura espaço-tempo. O professor e físico da Universidade de Barcelona (ICREA), Roberto Emparan, aprofundou e ajudou a explicar as principais curiosidades sobre essa teoria em 10 perguntas. O que é que se comemora exatamente no dia 25 de novembro de 2015? Passaram exatamente 100 anos desde o dia em que Albert Einstein apresentou e explicou na Academia Prussiana de Ciências, em Berlim, as equações definitivas da teoria geral da relatividade. Depois de uma década de tentativas para conciliar a força gravitacional com a sua teoria da relatividade especial (1905) e do matemático David Hilbert andar atrás de Einstein, este finalmente deu uma forma precisa e definitiva à teoria que foi considerada como uma das principais da humanidade. A teoria foi publicada no mesmo dia, 25 de novembro de 1915, nas atas da academia. Einstein apresentou nesse dia a equação como a conhecemos hoje? Na verdade o sistema é composto por dez equações, mas pode ser escrito de forma unificada utilizando o símbolo “=” e resumi-lo em : R μν -1/2 g μν R = 8πG T μν. Na equação original, que Einstein escreveu no seu artigo, utilizou alguns símbolos em latim em vez de grego e distribuiu os termos de uma maneira um pouco diferente, ainda assim, ela é totalmente equivalente a esta. Teoria (…)”

Ler mais! http://observador.pt/2015/11/25/as-10-perguntas-entender-teoria-da-relatividade-einstein/

Candidatura de chocalhos a Património Mundial com parecer positivo da UNESCO

“A candidatura portuguesa do fabrico de chocalhos a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO, obteve parecer positivo da comissão internacional de especialistas do organismo. A candidatura portuguesa do fabrico de chocalhos a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO, obteve parecer positivo da comissão internacional de especialistas do organismo, revelou hoje à agência Lusa a entidade promotora. “Trata-se de um parecer que considera exemplar o projeto que apresentámos, o que constitui para nós um motivo de satisfação e orgulho”, disse à agência Lusa o presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva. Portugal candidatou este ano à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) a inscrição do fabrico de chocalhos como Património Cultural Imaterial da Humanidade com Necessidade de Salvaguarda Urgente. O processo, coordenado pelo antropólogo Paulo Lima, é liderado pela Turismo do Alentejo e Ribatejo, em colaboração com a Câmara de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas, mas tem âmbito nacional. O pedido de inscrição só vai ser apreciado e votado pela UNESCO na 10.ª reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, marcada para a Namíbia, entre 30 de novembro e 04 de dezembro. (…)”

Ler mais! http://observador.pt/2015/11/18/candidatura-de-chocalhos-a-patrimonio-mundial-com-parecer-positivo-da-unesco/

John Malkovich e o filme que você nunca verá

“O novo filme escrito pelo actor norte-americano vai estrear a 18 de novembro de 2115. Sim, leu bem: daqui a 100 anos. Por isso, esta notícia é para os seus bisnetos.

Veja nesta fotogaleria algumas imagens dos teasers que foram revelados http://observador.pt/2015/11/19/john-malkovich-e-o-filme-que-voce-nunca-vera/#

Quando pensamos que já tudo foi feito em marketing, eis que surge mais uma surpresa: os criativos da marca mais cara de conhaque do mundo, Louis XIII, resolveram desafiar John Malkovich e Robert Rodriguez para conceberem um filme que levasse o mesmo tempo a estrear que o conhaque leva a amadurecer. Assim surge “100 Anos”. Aqui está uma longa-metragem que não tem a pressão de ser um blockbuster no seu lançamento. Ao jornal Independent, John Malkovich revela que, quando lhe fizeram a proposta, pensou: “Isto é uma grande ideia. Deveria ter sido o destino de alguns filmes que fiz!”. Já o realizador Robert Rodriguez garantiu que o filme é “muito elegante, carregado de emoção” e revela bem “a escrita de John”. O secretismo à volta do filme é muito. Sabe-se apenas que o guião foi escrito por John Malkovich e que retrata a visão que o actor tem do futuro no planeta Terra. A actriz principal é Shuya Chang. O realizador, Robert Rodriguez, é o mesmo de “Sin City”, “Machete” e “Era uma vez no México”. Se o filme é bom, nunca o saberemos: estão a ser enviados convites para a estreia a mil pessoas, que os deverão transmitir aos seus bisnetos. Então, e como é que se consegue evitar uma fuga de informação? O filme está fechado num cofre, não a sete chaves, mas com um dispositivo que só abre daqui a 100 anos. A contagem decrescente já começou, esperamos que até lá não morra de curiosidade. (…)”

Ler mais! http://observador.pt/2015/11/19/john-malkovich-e-o-filme-que-voce-nunca-vera/

*****

No “Pergaminho” desta semana…

O que torna os professores fortes

“A formação em serviço tem passado quase sempre ao lado das reais necessidades dos professores e das reais necessidades das escolas. António Sampaio da Nóvoa publicou em 1987 um ensaio notável e seminal sobre “O tempo dos professores” (Le temps des professeurs: analyse socio-historique de la profession enseignante au Portugal (sec. XVIII – XX). Trata-se de um livro de leitura indispensável que, além de traçar a evolução da profissão docente ao longo de 300 anos, mostra como os professores surgiram e como à custa de longos e penosos processos se puderam afirmar como uma classe profissional indispensável ao(s) desenvolvimento(s) humano(s). Mesmo recentemente não deixaram de aparecer duvidas sobre o carácter imprescindível da profissão de professor. Lembro, por exemplo, que quando surgiram as primeiras e desastradas experiências de introdução das Tecnologias Digitais na Educação, havia teóricos que profetizavam o desaparecimento a curto prazo dos professores porque seriam substituídos (e segundo eles com vantagem) pelos computadores. Dizia-se para anunciar o “admirável mundo novo” dos computadores na Educação que eles eram mais pacientes que os humanos (aqui havia uma incompreensível confusão entre ser paciente e ser repetitivo…), os computadores eram mais disponíveis, mais versáteis, etc. O certo que cedo se verificou que todas estas vantagens eram inúteis se não existisse um professor que contextualizasse as aprendizagens, que explicasse as suas dificuldades e implicações, um professor, enfim, que falasse humanamente com os alunos. Assistimos ainda hoje a outras tentativas e subalternizar o papel dos professores. Darei outro exemplo: há países em que as entidades responsáveis pela Educação compram a empresas privadas o currículo, os materiais, os livros e mesmo a supervisão do processo educativo. Este “franchising” educacional leva a que o professor se converta num mero “entregador” do currículo, tendo somente seguir e cumprir rigorosa e atempadamente os planos que a empresa fez para ele. Tem-se chamado a este modelo de “currículo à prova de professor”. Segundo o modelo planeado, o modelo só pode não funcionar se o professor não cumprir obedientemente os ritmos, os conteúdos planeados e não usar os materiais que lhe são fornecidos. Muito mais exemplos poderiam ser dados de tentativas (felizmente mal sucedidas) de substituir o professor, de acabar este “Tempo dos Professores” com lhe chamou Sampaio da Nóvoa. O facto destes exemplos caricaturais terem sido desmontados não deve esmorecer a nossa vontade de encontrar respostas para a questão de “Como se pode reforçar e valorizar o trabalho dos professores?” Os últimos anos de governação em Portugal foram um verdadeiro laboratório sobre como retirar relevo e autonomia aos professores. Muitos aspectos se poderiam evocar mas referir-nos-emos a três que nos parecem mais importantes: Os professores tornam-se mais fortes quando se reforça a autonomia e a possibilidade de gerirem o seu trabalho pedagógico. Isto quer dizer que currículos extraordinariamente extensos e complexos vão “engessar” o professor e retirar-lhe tempo e disponibilidade para usar com os alunos outros métodos que não sejam os estritamente transmissivos. Com currículos destes escasseia tempo para que os alunos aprendam a resolver questões em grupo, para apoiar os alunos que “descolem” da “velocidade de cruzeiro” a que são transmitidos os currículos e não permite qualquer veleidade de interdisciplinaridade ou mesmo de aplicação a contextos reais. A tão criticada opção governamental de reforçar os exames faz parte deste problema: as escolas usam a desculpa dos exames para justificarem práticas ainda mais tradicionais e conservadoras no seu trabalho pedagógico. Em segundo lugar não se desenvolveram modelos que incentivem, encorajem e recompensem o trabalho cooperativo dos professores. Sabe-se hoje que um professor que trabalhe sozinho tem uma enorme probabilidade de ser incompetente dado que os problemas que se lhe deparam são de tal complexidade que só em colaboração com outros docentes e mesmo outros técnicos é possível encontrar respostas adequadas. A organização da escola, a avaliação dos professores, o modelo de resolução de problemas na escola passa sempre por um professor solitário, e único responsável por assuntos em que na verdade ele não é capaz de resolver sozinho.”

Ler em… http://www.publico.pt/sociedade/noticia/o-que-torna-os-professores-fortes-1714925

*******

Ao Virar da Página…

Li-Fi. Um sistema que dá luz e net ultra-rápida

“Este sistema junta iluminação e internet com velocidades até 224 Gbps. Começou agora a ser testado fora do laboratório e promete revolucionar as comunicações do futuro. Já conhece o Li-Fi? Em 2011, Harald Haas, professor da Universidade de Edimburgo, inventava uma tecnologia capaz de revolucionar as comunicações do futuro. Uma tecnologia que não é mais do que luz. Sim, luz. Lâmpadas LED inteligentes que prometem substituir os nossos routers de acesso à internet dentro de algumas décadas. Alguma vez ouviu falar de Li-Fi? Não? Nós explicamos. O Li-Fi resulta da junção dos termos light e fidelity e, em traços gerais, assenta na premissa de que um LED intermitente é capaz de transmitir mais informação do que uma torre de telemóveis — algo que Harald Haas conseguiu demonstrar. Recorda-se de como funciona o código morse? Pois, o conceito é semelhante. Mas muito, muito mais evoluído. Isto só é possível graças às características das lâmpadas LED, capazes de piscar a velocidades impercetíveis ao ser humano. De acordo com o ScienceAlert, estamos a falar de velocidades que, em teoria, podem ir até aos 224 Gbps (gigabits por segundo). O sistema começou agora a ser testado em contexto comercial numa startup da Estónia. O resultado: velocidades até um gigabyte por segundo, ou seja, cerca de cem vezes mais rápidas do que o atual sistema de Wi-Fi. (…)”

Ler mais! http://observador.pt/2015/11/24/li-fi-um-sistema-da-luz-net-ultra-rapida/

A Teoria da Relatividade de Einstein aplicada no dia a dia

“Há 100 anos a teoria da relatividade de Einstein revolucionou a ciência e mudou as bases da física. Mas também explica o GPS, as televisões, a energia nuclear e muito mais coisas do quotidiano. Atualmente qualquer smartphone tem um navegador GPS, mas é a Teoria da Relatividade que pode explicar o seu funcionamento. A localização do nosso GPS é calculada segundo o tempo de resposta entre os satélites que orbitam a terra e os nossos dispositivos. Se o GPS não tivesse em conta a relatividade do tempo, devido à velocidade dos satélites e à distância a que o campo gravitacional está da Terra, os relógios atómicos incorporados no GPS deixavam de estar calibrados, podendo acumular vários erros sem que conseguíssemos chegar ao destino certo. A man uses a GPS app on a smartphone during a Google promotion event at the City of Fashion and Design (Cite de la mode et du design) in Paris on November 4, 2014. AFP PHOTO / THOMAS SAMSON (Photo credit should read THOMAS SAMSON/AFP/Getty Images) Créditos: THOMAS SAMSON/AFP/Getty Images) As televisões velhas As televisões mais antigas utilizavam CRTS, pequenos aceleradores de partículas que faziam com que os eletrões fossem disparados em alta velocidade, na parte de trás do monitor. Caso a Teoria da Relatividade não fosse levada em conta, os eletrões não conseguiriam projetar os píxeis nas posições corretas. POMPANO BEACH, FL - JUNE 05: Tommy Bass places an analog television set into the discard bin after receiving it at the Broward County Waste & Recycling Services Solid Waste center on June 5, 2009 in Pompano Beach, Florida. As America switches to a digital signal on June 12th many are throwing out their old television sets. The switch to the digital television signal makes old analog televisions obsolete unless a converter box has been purchased. For the last 70 plus years people have watched television on analog. (Photo by Joe Raedle/Getty Images) Créditos: JOE RAEDLE/Getty Images O magnetismo O especialista explica: “Qualquer coisa que tenha a ver com os campos magnéticos é explicada por um efeito relativista. Estes campos foram já descritos antes, mas depois percebeu-se que é a Relatividade que explica o magnetismo na realidade “. Não é preciso ir longe, basta olhar para o seu frigorífico carregado de ímanes. Magnets of food products are seen in the American Enterprise Exhibition at the Smithsonian's American History Museum June 11, 2015 in Washington, DC. The Smithsonian previewed its new exhibition on American enterprise. AFP PHOTO/BRENDAN SMIALOWSKI (Photo credit should read BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/Getty Images) Créditos: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/Getty Images) Ouro à prova do tempo José Luis Fernández Barbón esclareceu ainda que o ouro é praticamente “à prova do tempo”, do desgaste e da oxidação, por causa das propriedades dos seus átomos pesados, presentes também no mercúrio, cujos eletrões estão muito próximos do núcleo e se movem muito rápido. Por isso já sabe, a Teoria da Relatividade também explica o porquê do seu ouro permanecer intacto. Indian shoppers try on gold jewellery at a jewellery store on Dhanteras in Amritsar on October 21, 2014. Dhanteras, which happens two days before the Hindu festival Diwali, is seen as an auspicious day to make purchases. AFP PHOTO/NARINDER NANU (Photo credit should read NARINDER NANU/AFP/Getty Images) Créditos: NARINDER NANU/AFP/Getty Images (…)”

Ler mais! http://observador.pt/2015/11/25/serve-teoria-da-relatividade-einstein/

Por aqui me fico… e claro, com o desejo de… boas leituras! Até ao próximo click!
publicado por Musikes às 10:21 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Obrigado pelas suas palavras.Viverá para sempre na...
Para mim, a canção mais bonita cantada em lingua p...
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
blogs SAPO