Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
13 de Junho de 2018

FITEI começa nesta terça com as artes do palco como fator de Empoderamento

 
Começa nesta terça-feira o 41.º FITEI - Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica. Este ano subordinado aos Empoderamentos, o evento instala-se por dez dias, celebrando o teatro e as artes performativas em vários palcos da Frente Atlântica.

 

 
O Encontro de Abertura e o lançamento do "Livro dos Exílios Reais e Imaginários", publicação comemorativa dos primeiros 40 anos do festival, marcam amanhã às 16 horas, no Rivoli, o arranque desta 41.ª edição, que até 22 de junho ocupa salas do Porto, de Vila Nova de Gaia e Matosinhos, mas chega também a Felgueiras e Viana do Castelo.
 
Ao lançar o tema Empoderamentos, a organização do festival quer este ano "dar poder a quem normalmente não o tem: à mulher, às minorias étnicas, ao pobre, ao habitante do Sul da Europa, ao habitante do sul do mundo, ao indígena, e a muitos outros exemplos, que nos obrigam a refletir e a reequacionar a ideia de centro e de periferia, assim como a própria ideia de verticalidade hierárquica".
 
 
"Longe" de Raquel S, uma coprodução Noitardecer - Associação Cultural e Teatro Municipal do Porto, é a primeira estreia e o primeiro espetáculo do FITEI 2018, a levar à cena no auditório do Teatro Campo Alegre. "Tentar descrever uma cara com precisão", a cara de "uma pessoa que já não existe", é o exercício de pensamento, obsessão e memória protagonizado por Margarida Gonçalves.
 
 
Nesta terça o palco é também de "Caranguejo Overdrive", por Aquela Cia. (Brasil). Em estreia nacional no Rivoli, a peça conta a história de Cosme, ex-apanhador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX.
 
"Mendoza" de Los Colochos (México); "A House in Asia" dos catalães Agrupación Señor Serrano; "Correo" da chilena Paula Aros Gho; "Altíssimo" do pernambucano Pedro Vilela; ou a residência "Yo Escribo. Vos Dibujás", do argentino Federico León, são alguns dos destaques internacionais. No que toca à produção nacional, pode mencionar-se, entre outras, propostas e estreias de Victor Hugo Pontes, Marco Martins, Sara Barros Leitão, Ana Luena, Raquel S. ou Diana de Sousa.
 
Conheça toda a programação no website do FITEI.
 
 

 

publicado por Musikes às 12:39 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO