Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
19 de Junho de 2017

Ora, vamos a isto!

Porque partilhar é um prazer, aqui fica mais um desses momentos que tantos sorrisos suscitam.

 

Boas leituras!

 

****

 

1917 - 2017: A tradição do Piano no Conservatório de Música do Porto. 100 anos de História

(artigo de Maria José Passos - Google Arts & Culture)

 

“Esta exposição apresenta-se como o resultado de uma seleção de imagens, obtidas a partir da memória conservada em fotografias e outros documentos históricos, que fazem parte do acervo do Conservatório de Música do Porto, de outras instituições e de coleções particulares. No contexto do centenário do Conservatório, tem como objetivo relembrar e homenagear as sucessivas gerações de professores/pianistas, salientando a sua importância e contributo na construção da história do Conservatório de Música do Porto desde a fundação até à actualidade.

 

No dealbar do século XX

A segunda metade do século XIX corresponde a uma época áurea da cidade do Porto. A ascensão da classe burguesa, aliada à prosperidade do comércio e da indústria, proporcionou um grande desenvolvimento, dotando a cidade de algumas estruturas ímpares. Exemplo disso é o Palácio de Cristal inaugurado em 1865 com a Exposição Internacional do Porto, onde se verificou, entre as várias inovações tecnológicas da época, uma presença significativa de fabricantes de instrumentos musicais nacionais e estrangeiros. Cidade do comércio e do trabalho, o Porto deve também ser caracterizado pela atividade cultural que, nos vários domínios das artes e das letras, simultaneamente florescia. No final do século XIX os acontecimentos precipitavam-se: a fundação da Sociedade de Quartetos (1890) e Orpheon Portuense (1891) por Bernardo Moreira de Sá, ou a Sociedade dos Concertos Sinfónicos por Raymundo de Macedo (1910), a proliferação de lojas de instrumentos, a edição e venda de partituras e um número considerável de músicos que até à fundação do Conservatório de Música do Porto se dedicavam ao ensino musical privado, sendo o piano o instrumento eleito. Presente nas reuniões da sociedade da época, conforme relata Helena Sá e Costa “tocar piano era um hábito, fazia parte da educação e muitos talentos se revelaram”. (Costa:2001)

O ensino particular de piano dava continuidade à tradição de aulas individuais semanais, culminando com apresentações públicas de alunos e professores em diversos espaços da cidade, na sua maioria salões associados às lojas de instrumentos (Salão Bechstein, Sala Moreira de Sá, Casa Mello Abreu, Salão Beethoven, Salão Orfeo), mas também no Salão Nobre do Centro Commercial, no Clube Fenianos Portuense e Ateneu Comercial entre outros. Óscar da Silva, Raymundo de Macedo, Luiz Costa, Ernesto Maia, José Cassagne , estão entre os mais destacados pianistas e professores da época. Maioritariamente formados em Lisboa e na Alemanha, fizeram parte da geração que impulsionou a abertura do Conservatório de Música do Porto, cujo primeiro corpo docente viriam a integrar em 1917."

 

Continuar a ler

 

***

 

E ainda haverá muito mais a partilhar.

E claro! Todas as novidades também no Facebook e Twitter.

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!

publicado por Musikes às 20:07 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO