Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
03 de Outubro de 2017

Vamos a isto!

 

Desta vez, a sugestão para continuares a ler um artigo fora da caixa.

 

““O povo japonês é famoso por sua inteligência, saúde, educação e bem-estar.

Mas o que torna essa nação tão diferente do resto do mundo?” - Parte II

 

Não deixem de ler!

Boas leituras!

 

****

 

10 fatos sobre a educação japonesa de causar inveja no resto do mundo - Parte II

(Por Awebic15 de agosto de 2017)

 

“O povo japonês é famoso por sua inteligência, saúde, educação e bem-estar.

Mas o que torna essa nação tão diferente do resto do mundo?

Nós descobrimos a resposta: o Japão possui um sistema educacional extremamente diferenciado e interessante.”

 

“(…) 6. Além dos assuntos tradicionais, os estudantes japoneses também aprendem caligrafia japonesa e poesia

 

tinta e usá-la para escrever hieróglifos em papel de arroz.

Para os japoneses, Shodô é uma arte que não é menos popular do que a pintura tradicional.

Haiku, por outro lado, é uma forma de poesia que usa expressões simples para transmitir emoções profundas aos leitores. Ambas as classes ensinam as crianças a respeitar sua própria cultura e tradições seculares.

 

7. Quase todos os alunos devem usar uniforme

 

Quase todas as escolas japonesas exigem que seus alunos usem uniforme.

O tradicional uniforme escola japonês consiste em um estilo militar para os meninos e uma roupa de marinheiro para as meninas.

A política de uniforme tem como objetivo eliminar as barreiras sociais entre os alunos, além de promover um senso de comunidade entre os estudantes.

 

8. A taxa de presença escolar no Japão é de 99,9%

 

Estudantes japoneses não costumam faltar às aulas. Além disso, cerca de 91% dos alunos do Japão informaram que nunca, ou quase nunca, ignoraram o que o professor lecionou.

Qual outro país do mundo pode se orgulhar tanto de tais estatísticas?

9. Uma única prova determina o futuro dos estudantes japoneses

 

No fina do ensino médio, os alunos japoneses fazem uma prova para escolher onde fazer faculdade. E essa faculdade tem um requisito de pontuação nessa prova.

Cerca de 76% dos japoneses continuam os estudos após o ensino médio.

Não é de se admirar que o período de preparação para essa prova seja apelidado pelos japoneses de “inferno de exame”.

 

10. Os anos de faculdade são os melhores na vida de uma pessoa

 

Tendo passado pelo “inferno de exame”, os estudantes japoneses fazem uma pequena pausa antes de começar a faculdade.

No Japão, muitos consideram a faculdade como a melhor época da vida e alguns conhecem o período como “férias antes do trabalho”.”

 

Mais em…

 

***

 

E ainda haverá muito mais a partilhar.

E claro! Todas as novidades também no Facebook e Twitter.

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!

publicado por Musikes às 12:46 link do post
29 de Setembro de 2017

Vamos a isto!

 

Desta vez, a sugestão para um artigo fora da caixa.

 

““O povo japonês é famoso por sua inteligência, saúde, educação e bem-estar.

Mas o que torna essa nação tão diferente do resto do mundo?”

 

Não deixem de ler!

Boas leituras!

 

****

 

10 fatos sobre a educação japonesa de causar inveja no resto do mundo - Parte I

(Por Awebic15 de agosto de 2017)

 

“O povo japonês é famoso por sua inteligência, saúde, educação e bem-estar.

Mas o que torna essa nação tão diferente do resto do mundo?

Nós descobrimos a resposta: o Japão possui um sistema educacional extremamente diferenciado e interessante.

 

1. Boas maneiras antes do conhecimento

 

Nas escolas japonesas, os estudantes não fazem prova até alcançarem a quarta séria (10 anos de idade). Fazem apenas alguns pequenos testes.

Acredita-se que o objetivo para os três primeiros anos de escola não é julgar o conhecimento da criança, mas sim estabelecer boas maneiras e desenvolver seu caráter.

As crianças são ensinadas a respeitar as outras pessoas e serem gentis com os animais e com a natureza.

Elas também aprendem sobre generosidade, compaixão e empatia. Além de autocontrole, coragem e justiça.

 

2. O ano letivo começa em 1º de abril

 

O primeiro dia de aulas coincide com um dos fenômenos naturais mais bonitos do Japão: a época da flor de cerejeira!

O ano acadêmico dos japoneses é dividido em três trimestres e os alunos possuem férias de 6 semanas durante o verão, além de pausas de duas semanas durante a primavera e inverno.

 

3. A maioria das escolas japonesas não contrata faxineiros, os próprios alunos cuidam da limpeza

 

Nas escolas japonesas, os próprios estudantes são responsáveis pela limpeza das salas de aulas, corredores, lanchonetes e banheiros.

O sistema educacional japonês acredita que exigir que os alunos cuidem da limpeza da escola os ensinará a trabalhar em equipe e a ajudar-se mutualmente.

Além disso, o tempo e esforço gastos na tarefa de limpeza faz com que as crianças respeitem o próprio trabalho e o trabalho dos outros.

 

4. Nas escolas japonesas, o almoço escolar é fornecido em um cardápio padronizado e é comido na sala de aula.

 

O sistema educacional japonês quer garantir que seus alunos comam de forma equilibrada e saudável.

Nas escolas públicas, o almoço é feito segundo um cardápio padronizado desenvolvido por chefs especializados e profissionais da saúde.

Todos os colegas de classe comem na sala de aula junto ao professor. Isso ajuda-os a construírem relacionamentos positivos.

 

5. Oficinas pós-aula são muito comuns no Japão

 

Para entrar em uma boa escola secundária, é comum que as crianças japonesas entrem em escolas preparatórias ou participem de oficinas depois da aula.

No Japão, é muito comum ver grupos de crianças retornando de suas atividades extracurriculares no final da noite.

Os alunos japoneses têm um dia escolar de 8 horas e ainda estudam durante feriados e aos finais de semana. Neste país, quase nenhum aluno é reprovado durante a escola primária ou secundária. (...)"

 

Mais em…

 

***

 

E ainda haverá muito mais a partilhar.

Artigo interessante? Continua numa próxima publicação!

 

E claro! Todas as novidades também no Facebook e Twitter.

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!!!

publicado por Musikes às 12:42 link do post
07 de Setembro de 2017

Frédéric Chopin é, sem dúvida alguma, uma referecia para os pianistas e compositores da sua época. A sua expressividade, delicadeza poética incutida  nas suas peças, viriam a apontar o caminho para o desenvolvimento de novas formas de explorar esse magnífico instrumento - o piano.

 

Boas audições!

 

***** 

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Frédéric Chopin

(1810-1849)

 

“(…) Chopin quis voltar, mas problemas de saúde o impediram: nunca mais voltaria para casa.

Entretanto as coisas não deram muito certo na conservadora Viena, que vivia sob o regime autoritário de Metternich. Em julho do ano seguinte, seguiu rumo à muito mais liberal Paris.

Na viagem, tomou conhecimento das más notícias: a insurreição polonesa foi violentamente esmagada pelos russos, que com suas tropas saquearam e incendiaram Varsóvia.

O músico ficou revoltado: “ah, se eu pudesse matar ao menos um moscovita!”, escreveu. (…)” (http://www.portalsaofrancisco.com.br/biografias/frederic-chopin)

 

Frédéric Chopin: Etude Nº 12 In C Minor, Op. 10

 

Frédéric Chopin: Etude Nº 2 In F Minor, Op. 25

 

Frédéric Chopin: Etude Nº 4 In A Minor, Op. 25

 

Frédéric Chopin: Prelude Nº 4 In E Minor, Op. 28

 

Frédéric Chopin: Prelude Nº 5 In D, Op. 28

 

*****

 

“(…) Paris acolheu muito bem o exilado polonês. Foi logo adotado pela elite culta da cidade, requisitado como concertista e como professor.

Aliás, a segunda opção mais do que a primeira: dar aulas para os jovens da sociedade fez com que Chopin conseguisse razoável conforto material nos seus primeiros anos parisienses. (…)”Já era mais Frédéric François que Fryderyk Franciszek.

Levava uma vida sofisticada, em meio aos salões da aristocracia e às salas de concerto que começavam a aparecer. Conheceu músicos consagrados, como Rossini e Cherubini, e outros de sua geração, como Mendelssohn, Berlioz, Liszt e Schumann. (…)” (http://www.portalsaofrancisco.com.br/biografias/frederic-chopin)

 

Frédéric Chopin: Nocturne Nº 3 In B Major, Op. 9

 

Frédéric Chopin: Polonaise Nº 3 In A Major, Op. 40

 

Frédéric Chopin: Polonaise Nº 4 in C minor, Op. 40

 

Frédéric Chopin: Ballade Nº 2 In Flat Major, Op.

 

Frédéric Chopin: Prelude Nº 13 In F Sharp Minor, Op. 28

 

Frédéric Chopin: Waltz Nº 2 in A-Flat Major, Op. 34

 

Frédéric Chopin: Waltz Nº 5 In A Flat Major, Op. 42

 

***

 

A riqueza das formas e sonoridades, a diversidade temática e sua densidade emotiva, creio que são o perfeito pretexto para não perderes as próximas publicações.

 

Também no Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:51 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO