Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
31 de Outubro de 2019

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Camille Saint-Saëns

(1835-1921)

 

Últimos anos 

 

“(…) Em 1886, Saint-Saëns produziu duas de suas composições mais conhecidas: O Carnaval dos Animais e Sinfonia N º 3 , dedicada a Franz Liszt , que morreu naquele ano. Nesse mesmo ano, no entanto, Vincent d'Indy e seus aliados tinham Saint-Saëns removido da Société Nationale de Musique. Dois anos mais tarde, a mãe de Saint-Saëns morreu, dirigindo o compositor luto longe da França para as ilhas Canárias, sob o pseudônimo de "Sannois". Ao longo dos anos seguintes, ele viajou ao redor do mundo, visitando lugares exóticos da Europa, Norte da África, Sudeste Asiático e América do Sul. Saint-Saëns narrou suas viagens em muitos livros populares usando seu nom de plume , Sannois. (O que é pouco conhecido, hoje, é o fato de que o compositor também escreveu poemas e os publicou em uma coleção chamada familieres Rimes em 1890. Provavelmente o melhor poema de Saint-Saens é "La Libellule" ["O Libélula” ]…)” (https://som13.com.br/camille-saint-saens/biografia)

 

Camille Saint-Saëns: Symphony #3 In C Minor, Op. 78, "Organ" - 1. Adagio, Allegro Moderato, Poco Adagio

 

Camille Saint-Saëns: Symphony #3 In C Minor, Op. 78, "Organ" - 2a. Allegro Moderato, Presto

 

Camille Saint-Saëns: Symphony #3 In C Minor, Op. 78, "Organ" - 2b. Maestoso, Allegro Molto

 

Camille Saint-Saëns: Carnival Of The Animals - 14. Finale

 

Camille Saint-Saëns: Carnival Of The Animals - 12. Fossils

 

Camille Saint-Saëns: Carnival Of The Animals - 10. Aviary

 

 

Segue o Musikes no...

Facebook  Twitter  Padlet

publicado por Musikes às 11:16 link do post
31 de Janeiro de 2019

Entre as muitas sugestões culturais do Musikes,eis-nos a folhear umas tantas páginas desta época fantástica que é o Século XIX.

Actualmente, e em pleno período do Romantismo, encontramo-nos a passear nas cortes de Viena da Austria na exuberante companhia do compositor Johann Strauss II (JR.).

 

MUSIKES

Grandes Músicas… Grandes  Épocas!...

 

 

 

O que por cá se tem publicado...

 

Strauss escreveu mais de 150 valsas, polcas cem, setenta quadrilhas (danças quadrados), mazurcas (danças folclóricas da Polônia), marchas e galops (danças francesas). A sua música combina invenção melódica considerável, uma enorme energia e brilho com suavidade e polonês, e às vezes até mesmo uma sensualidade incrivelmente refinado.

 

Ler mais!

 

 

Embora seu pai não quisesse que o filho seguisse carreira musical, os impulsos de Johann Jr. o fizeram contrariar a vontade do pai

 

...e quando o pai abandonou a casa da família para viver com uma chapeleira, em 1842, sentiu-se estimulado a competir com ele no mundo da valsa vienense. (…)

Em 1844, quando tinha apenas 19 anos, Johann Jr. fundou uma orquestra de danças, que estreou no outubro do mesmo ano. O repertório era formado por valsas e outras danças de vários autores, inclusive algumas peças de seu pai e outras de sua própria autoria.

 

Ler mais!

 

 

Strauss Jr. é mais o símbolo de uma entidade ainda maior: a família Strauss

 

Enquanto for lembrado, o nome de Johann Strauss Jr. estará sempre ligado ao do pai, Johann Strauss, e ao dos irmãos, Eduard e Josef. Apesar de ser claramente o maior deles, Strauss Jr. é mais o símbolo de uma entidade ainda maior: a família Strauss. O patrono da dinastia dos “reis da valsa”.

 

Ler mais!

 

 

Seus concertos atraíam tanto o público como compositores consagrados como Liszt, Wagner e Brahms

 

A carreira de Strauss Jr. foi impulsionada desde então por um sucesso tão vertiginoso quanto o ritmo rodopiante das valsas que compunha. Ele e sua orquestra viajavam em grandes e animadas excursões por toda a Europa

 

Ler mais!

 

 

 

Facebook  Twitter  Padlet  E-Mail

 

Agora que já tens as últimas publicações, passa pelo Musikes para conhecer, ler, ouvir e partilhar apenas “Grandes Músicas… Grandes Épocas...”

Bom fim-de-semana!

 

 

Facebook  Twitter  Padlet  Email

publicado por Musikes às 12:32 link do post
27 de Outubro de 2018

Sabia que há uma língua em que o nome do nosso país é «Ureno»? Vamos de viagem…

 

 

1. O nosso nome repetido

 

Há países que mudam de nome com muita facilidade. Pensem só nos pobres alemães, cujo país é «Deutschland» lá dentro, mas passa a «Allemagne» logo ali no sul da Bélgica — e é «Germany» em Inglaterra. Somando as variações, são não sei quantas Alemanhas diferentes por essa Europa fora.

Já nós vivemos num país com um nome sólido, daqueles que se aguenta firme ao vento das diferentes línguas — pelo menos, na escrita. Avançamos pela Europa fora e temos «Portugal» (espanhol), «Portugal» (catalão), «Portugal» (francês), «Portugal» (inglês), «Portugal» (alemão), «Portugal» (norueguês), «Portúgal» (raisparta o acento do islandês).

Até os bascos, que têm uma língua daquelas de bater com a cabeça na parede, chamam ao nosso país… «Portugal»!

Os húngaros, donos doutra língua que parece inventada só para nos atrapalhar, chamam ao nosso país «Portugália». Enfim, não é a mesma coisa, mas quase. Os finlandeses dizem «Portugali». Os italianos, tão latinos como nós, dão um nome virado para o azeite, mas mesmo assim não fogem muito: «Portogallo». Os romenos também não são especialmente originais, mas põem ali umas letras finais: «Portugalia».

 

2. Outras letras, o mesmo nome

 

Pela Europa, se queremos algum exotismo no nosso nome, temos de olhar para as línguas que usam outros alfabetos. Os gregos escrevem «Πορτογαλία», os russos escrevem «Португалия» — e os georgianos, donos do mais redondo dos alfabetos, escrevem პორტუგალია. Mas, nos três casos, o que dizem não foge muito a «Portugalia». As letras diferentes escondem um nome muito parecido.

O mundo, pelos vistos, não quer brincar com o nome do nosso país. Ora, imaginem a minha admiração ao encontrar, no Facebook de um amigo, uma imagem sobre o jogo da nossa selecção em que apareciam estes nomes:

Mas em que língua «Portugal» se diz «Ureno»? Bem, já lá chegamos. Continuemos a viagem…

 

 

Entre familiares, amigos e conhecidos, irão gostar do Musikes.

Partilha no Facebook,no Twitter e agora também no Padlet.com!

"Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas. Goethe"

publicado por Musikes às 10:29 link do post
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Obrigado pelas suas palavras.Viverá para sempre na...
Para mim, a canção mais bonita cantada em lingua p...
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
blogs SAPO