Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
03 de Abril de 2019

Abril traz muito mais do que águas mil. Traz Wagner, Shakespeare e Mendelssohn ao Coliseu, para provar que os grandes artistas são intemporais. Traz jovens talentos e também clássicos do rock. É só deixar-se levar, como num sonho de uma noite de abril.

 

MUSIKES!

Grandes Músicas… Grandes Épocas!...

 

 

Aqui alguns destaques.

 

 

 

Porto Comedy - Festival de Comédia

Sábado 6 Abril - 22h00

Comprar

 

Nada melhor para acabar um dia de semana do que com uma boa gargalhada. Confiamos na ciência e nos estudos que comprovam que rir aumenta a esperança média de vida e recebemos um festival apresentado por Herman José e pelas personagens mais marcantes da sua carreira, como Nelo ou Estebes. Nilton, Francisco Menezes e Marta Bateira (Beatriz Gosta) são os portugueses que vão agarrá-lo à cadeira, num evento que também conta com nomes internacionais e algumas surpresas.

 

 

 

 

Parsifal

Sexta 12 Abril - 21h00

Comprar

 

É um dos momentos altos do ano para o Coliseu e antevê-se sala cheia. Após o sucesso de "La Traviata", a nova coprodução com o Teatro Nacional de São Carlos é "Parsifal", a derradeira obra que Richard Wagner deixou ao mundo, e que se apresenta no Porto três dias antes de chegar à sala lisboeta. A direção musical é do maestro britânico Graeme Jenkins, que já colaborou com a prestigiada Royal Opera House. Em versão concerto, com excertos do I ato e o III ato completo, a história narra a demanda do ideal, personificado pelo Santo Graal, por Parsifal, um dos cavaleiros do mítico Rei Artur. Uma história apaixonante, que remete para a época de Páscoa, e que será interpretada pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, pelo Coro do Teatro Nacional de São Carlos, e por solistas como Erin Caves. A não perder.

 

 

 

 

Sonho de Uma Noite de Verão

Sábado 18 Abril - 22h00

Comprar

 

Pela primeira vez, o Centro Cultural de Belém leva o Festival Dias da Música ao Porto e associa-se ao Coliseu Porto Ageas como palco do espetáculo “Sonho de Uma Noite de Verão”. Uma obra do compositor, pianista e maestro alemão Felix Mendelssohn, tendo por base a obra de William Shakespeare. “Sonho de Uma Noite de Verão” continua a ser, com a Abertura e a Marcha Nupcial, uma das mais populares obras de Mendelssohn. O espetáculo, com solistas, um coro de 80 vozes, uma orquestra jovem com 70 músicos e narração do ator Pedro Penim estreia no Porto, passando depois por Coimbra e terminando no CCB, em Lisboa, no dia 25 de abril.

 

 

 

 

Festival Dias da Dança regressa 
ao Coliseu Porto Ageas

 

A conferência de imprensa do Festival DDD desvendou o espetáculo de encerramento da edição de 2019, que acontece no Coliseu no próximo dia 4 de maio: duas obras interpretadas pela GöteborgsOperans Danskompani, a prestigiada companhia de Dança da Ópera de Gotemburgo, na Suécia. "Skid", a primeira coreografia, do criador franco-belga Damien Jalet, destaca-se pelo palco inclinado a 34 graus, onde os bailarinos lutam contra a gravidade. Uma metáfora sobre o desejo de chegar sempre mais longe, representada com uma coreografia que prima pela estética visual. 

Segue-se "Autodance", o segundo trabalho assinado pela coreógrafa israelita Sharon Eyal, prestigiada bailarina que outrora pertenceu à Batsheva Dance Company. Uma obra estreada mundialmente em março do ano passado, na Suécia, que combina dança, música techno da autoria de Ori Lichtik e diferentes técnicas coreográficas. 

Os bilhetes custam 10 euros e serão colocados à venda brevemente.

Saber mais

 

Programa e mais!

 

 

Segue o Musikes em...

Facebook  Twitter  Padlet

 

publicado por Musikes às 13:19 link do post
01 de Fevereiro de 2019

À semelhança de outros anos, a Póvoa de Varzim já nos habituou a às suas “Correntes de Escrita”, encontros estes que tanta literatura nos dão a conhecer.

Como não poderia deixar de ser, o Musikes anuncia com grande prazer tal evento.

 

 

A próxima edição vai realizar-se de 16 a 27 de Fevereiro NFACTOS / FERNANDO VELUDO

 O encontro literário Correntes d'Escritas celebra 20 anos no próximo mês, na Póvoa de Varzim, com aquela que designa da "maior edição de sempre", que vai contar com 140 escritores de 20 países, anunciou esta quinta-feira a Câmara Municipal.

 

A 20.ª edição do Correntes d'Escritas vai receber dois chefes de Estado no primeiro dia, em 19 de Fevereiro: o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, vai dirigir a cerimónia de abertura, quando são anunciados os prémios literários de 2019, enquanto o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, vai proferir a conferência inaugural, sobre "As letras da língua e a mobilidade dos criadores na CPLP".

 

Entre os convidados da edição que se vai realizar de 16 a 27 de Fevereiro, vai estar um prémio Cervantes, o nicaraguense Sergio Ramírez, prestes a lançar Já ninguém chora por mim em Portugal, três prémios Camões (Arménio Vieira, Germano Almeida e Hélia Correia) e cinco prémios literários Casino da Póvoa (Lídia Jorge, Ana Luísa Amaral, Manuel Jorge Marmelo, Juan Gabriel Vásquez, para além de Hélia Correia).

 

"Dezanove edições depois [do começo], o Correntes d'Escritas é também herança, memória, inspiração e modelo para os tantos festivais literários que se lhe seguiram, de norte a sul do país e ilhas. Esta constelação de encontros literários é na realidade o maior tributo que pode ser prestado ao Correntes d'Escritas e prova de que a sua história é pó de estrelas que deixa lastro", afirma a introdução do programa da 20.ª edição.

 

No Cine-Teatro Garrett, no centro da Póvoa de Varzim, a primeira mesa vai contar com o antigo ministro Guilherme d'Oliveira Martins e com o jornalista José Carlos de Vasconcelos, seguindo-se uma sessão sob o tema E livres habitamos a substância do tempo, com a participação de Ana Paula Tavares, Filipa Leal, Germano Almeida, Helder Macedo, Juan Gabriel Vásquez e Lídia Jorge.

 

Ao longo dos dias seguintes aquele espaço da Póvoa de Varzim vai ainda receber nomes como o presidente do conselho de administração da Impresa, Francisco Pinto Balsemão, a mais recente vencedora do prémio Vergílio Ferreira, Nélida Piñon, o galardoado com o prémio Leya de 2018, Itamar Vieira Junior, o espanhol Manuel Vilas ou a cantora Aldina Duarte.

 

O Correntes d'Escritas vai também acolher lançamentos de livros, concertos e exposições, além de programar visitas a escolas por vários dos autores participantes.

 

 

 

Facebook  Twitter  Padlet  Email

 

publicado por Musikes às 12:52 link do post
19 de Novembro de 2018

E porque o cinema também é arte, aqui um festival que interessa a todos.
 

 

Shakespeare segundo Matías Piñeiro e a Inglaterra de Chris Petit no PortoPostDoc

Quinta edição do festival traz ao Porto dois dos mais interessantes nomes contemporâneos que confundem as fronteiras da ficção e do real.

 
Fo
 
"La Princesa de Francia, de Matías Piñeiro DR

O argentino Matías Piñeiro, um dos mais cosmopolitas cineastas contemporâneos, e o britânico Chris Petit, autor de um dos títulos mais lendários do cinema britânico, Radio On, são as novas “adendas” à programação do Porto/Post/Doc. O festival portuense, que decorre no Rivoli, Passos Manuel e Trindade de 24 de Novembro a 2 de Dezembro, anunciara já uma retrospectiva integral da obra da dupla António Reis/Margarida Cordeiro e um workshop com a investigadora, crítica e cineasta Laura Mulvey.

Prosseguindo o seu interesse pelos cinemas que transgridem fronteiras entre “ficção” e “documentário”, era inevitável que o Porto/Post/Doc viesse ter a estes dois cineastas. Piñeiro, uma das figuras de ponta do novo cinema argentino a par de gente como Mariano Llinás, tem recentemente levado a cabo uma série de adaptações livres de Shakespeare que se alimentam, de modo quase improvisacional, do próprio cenário em que tudo decorre. É o caso de três dos cinco filmes alinhados para a sua retrospectiva: Viola (2012), baseado em Noite de Reis, La Princesa de Francia (2014), inspirado em Penas de Amor Perdido, e Hermia & Helena (2016), sugerido por Sonho de uma Noite de Verão.

Já Chris Petit, figura importante do cinema paralelo britânico, é recordado essencialmente por Radio On, o seu road movie pela Grã-Bretanha de finais dos anos 1970 ao som dos Kraftwerk ou de Bowie. O Porto/Post/Doc vai apresentar muitos dos seus filmes mais experimentais, como a meditação sobre as imagens Negative Space, ou os seus documentários dedicados ao escritor J. G. Ballard e ao argumentista Rudy Wurlitzer. (…)"

 
publicado por Musikes às 12:49 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO