Em cada um reside a fonte da partilha, e seja ela um dom ou não, deixa-me semear no teu ser o prazer da Música. Ela tem inspirado o Homem no revelar o seu pensamento, o interpretar e sentir o Universo ao longo de milénios. Bem vindo!
07 de Março de 2019

Os jardins musicais são imensos e belos, de sonoridades sublimes e profundas.

O romântico não só exprime o seu eu, como quer abraçar o Mundo e o Universo, e é nesse intento que o século XIX nos legou uma fecunda obra musical.

 

Retirando mais um volume desta grande estante musical que é o século XIX,Desta vez, proponho um grande compositor que se também se destacou na cidade de  Viena.

 

Boas audições!

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Johannes Brahms

(1833-1897)

 

“Um dos mais destacados compositores do romantismo musical europeu do século 19, o alemão Johannes Brahms foi considerado pelo pianista e professor Hans von Bülow um dos pilares da música clássica, formando, com Bach e Beethoven, o tripé “três Bs”. Grande nome da cultura alemã, Brahms dedicou-se a quase todos os gêneros – exceto ópera e balé – e, para muitos, foi o sucessor de Beethoven, tanto que sua primeira sinfonia recebeu a alcunha de “Décima de Beethoven”.” (http://blog.fritzdobbert.com.br/pianistas/johannes-brahms-2/#content)

 

Johannes Brahms: Symphony No. 1 in C minor, Op. 68

 

 

“Brahms foi também um continuador da obra de Schubert, como compositor de lieder (canções), pois escreveu cerca de 200 delas. Além disso, contribuiu para a divulgação da música de Bach, quando ainda não era muito valorizada em Viena.” (http://blog.fritzdobbert.com.br/pianistas/johannes-brahms-2/#content)

 

Johannes Brahms - 12 Lieder

 

 

Segue o Musikes no...

Facebook  Twitter  Padlet

publicado por Musikes às 11:52 link do post
26 de Janeiro de 2018

Mais uma vez pela mão de Franz Liszt, percorramos sua vida e obra que tanto marcaria uma época, e nem imaginam o quanto.

Poder-se-ía até afirmar que o seu estilo incomparável lançaria as bases das “Pop-stars” dos dias de hoje.

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“(...) Liszt conheceu sua primeira paixão logo após a morte do pai: Carolina de Saint-Cricq, sua aluna, que o correspondeu a princípio. Sua mãe, ciente da relação, morreu doente pouco tempo depois e alertou o marido sobre o amor da filha. O conde, então, tratou de informar Liszt que um noivo (o conde de Artigaux) já havia sido selecionado para sua filha. O músico nunca mais voltou ao palácio da família.

Liszt tinha tentado escrever sua Sinfonia Revolucionária já em 1830, mas no início da sua vida adulta centrou seus interesses principalmente em sua carreira como intérprete. Em 1847, Liszt era famoso na Europa como um virtuoso pianista. A "Lisztomania" percorria toda a Europa, e a carga emocional dos seus recitais converteram os concertos em "algo místico em vez de serem eventos musicais sérios", e a reação de muitos dos ouvintes poderia ser descrita como histérica.

O musicólogo Alan Walker afirma que "Liszt era um fenómeno natural e a gente era dominada por ele… Com a sua cativante personalidade, a sua larga melena de cabelo solto criou uma encenação assombrosa. Havia muitos testemunhos para declarar que a sua interpretação tinha melhorado realmente o estado de ânimo da audiência a um nível de êxtase místico". (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: 12 Etudes D'execution transcendante: X. Appassionata in F Minor - Allegro agitato molto

 

Franz Liszt: Transcriptions from "Die schöne Müllerin", Op. 25: Wohin? (No. 2)

 

Franz Liszt: Transcriptions from "Die schöne Müllerin", Op. 25: Ungeduld (No. 7)

 

*****

 

“(...) Os pedidos para realizar concertos «aumentaram exponencialmente» e «cada aparição pública provocava a procura de outra dúzia». Liszt desejava compor música, como trabalhos orquestrais a grande escala, mas acabava por não ter tempo para isso devido às suas viagens como virtuoso do piano.

Em Setembro de 1847 Liszt deu o seu último recital público como artista contratado, e anunciou a sua retirada do circuito de concertos, instalando-se em Weimar, onde tinha sido Kapellmeister honorífico em 1842, para trabalhar em suas composições. (...)” (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Premiere Année: VII. Eglogue

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Premiere Année: IX. Les Cloches De Genève

 

Franz Liszt: Années de Pèlerinage, Deuxieme Année: I. Sposalizio

 

Franz Liszt: Forest Murmurs "Waldesrauschen"

 

Franz Liszt: Grosse Fantasie for Piano and Orchestra, S. 366 (After Franz Schubert's "Wanderer Fantasie")

 

Franz Liszt: Bagatelle Without Tonality

 

***

 

Uma vez mais, deixo aqui o convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:51 link do post
15 de Novembro de 2017

Continuando a conhecer a vida e obra de Franz Liszt.

Novas sonoridades e discursos musicais, enfatizando um “eu” que agora se expressa nas combinações tímbricas da orquestra e piano. ente vasto e rico.

 

Aqui o convite a ler, ouvir, partilhar e descobrir!

 

Boas audições!

 

*****

 

“Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda a gente.” Fernando Pessoa

 

 

GRANDES MÚSICAS… GRANDES ÉPOCAS!...

 

 

Séc. XIX - O Romantismo

(1810-1910)

 

Franz Liszt

(1811-1886)

 

“(…) Liszt foi também um compositor bem conhecido e influente, professor e maestro. Ele foi um benfeitor para outros compositores, incluindo Richard Wagner, Hector Berlioz, Camille Saint-Saëns, Edvard Grieg e Aleksandr Borodin. (…)” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Liszt)

 

Franz Liszt: Grandes Etudes de Paganini No. 4 in E Major

 

Franz Liszt: Grandes Etudes de Paganini No. 5: Allegretto (La Chasse)

 

Franz Liszt: Grandes Etudes de Paganini No. 6 in A Minor: Quasi presto

 

Franz Liszt: Piano Sonata in B Minor: I. Lento (1º and.)

 

Franz Liszt: Piano Sonata in B Minor: II. Grandioso (2º and.)

 

Franz Liszt: Piano Sonata in B Minor: III. Andante sostenuto (3º and.)

 

Franz Liszt: Piano Sonata in B Minor: IV. Fugue, Allegro energico (4º and.)

 

Franz Liszt: Piano Sonata in B Minor: V. Stretta quasi presto (5º and.)

 

***

 

Aceita, mais uma vez, este modesto convite, como que em jeito de introdução, desfruta de uma leitura acerca de toda uma época que marcou profundamente toda a sociedade e a organização das nações.

 

No Facebook e Twitter, em qualquer dispositivo.

Passa por lá!

 

Por isso!...

Não percas o próximo post… porque nós… também não!

publicado por Musikes às 12:39 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ola! ☺️Saudações Musikes! 🤗Claro que me lembro! Co...
Olá Pedro,Como estás? Eu sou a Alda, a colega que ...
è Natal, é Natal....As mais belas canções de Natal...
Quando estou triste, paro e medito...Quando estou ...
A música é, sem dúvida, o alimento da alma... das ...
blogs SAPO